Período eleitoral faz Santos adiar contratação de lateral-direito

O Santos deu início ao planejamento para 2018, mas ainda não pode executar. A três meses da eleição presidencial, que acontece no dia 9 de dezembro, o clube não pode fazer contratações ou firmar acordos para o ano que vem, o que impediu o clube de fechar com o primeiro reforço para a próxima temporada.

Com problemas na lateral-direita, já que Victor Ferraz tem forte lombalgia e segue sem previsão de retorno aos campos e Matheus Ribeiro deve ser negociado, o Alvinegro tem interesse em Nino Paraíba, de 31 anos, da Ponte Preta.

A ideia do Peixe era propor um pré-contrato ao ala, já que seu vínculo com a Macaca termina em dezembro. No entanto, o estatuto do Alvinegro não permite negociações no período que antecede a votação para eleger presidente. O interesse no atleta foi revelado pelo site Uol.

No momento, Levir Culpi conta com Daniel Guedes para suprir a ausência de Victor Ferraz. O jovem revelado na base teve atuação destacada na Libertadores.

Em 2014, a venda dos direitos de Gabigol, Geuvânio e Daniel Guedes para o fundo de investimentos Doyen Sports causou confusão pois aconteceu um mês antes da eleição e foi assunto de uma reunião do Conselho Deliberativo no período.

Nos bastidores, a diretoria teme perder alguns jogadores para rivais ou outros clubes por não poder se articular até janeiro e sair atrás de outros times. Em 2015, após a eleição, o Santos iniciou a busca por reforços quase na metade de janeiro.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos