Tite sai em defesa de Muralha e comenta sobre árbitro de vídeo

  • Pedro Martins/ MoWa Press

Após Casemiro conceder entrevista coletiva ao ser anunciado como capitão da Seleção Brasileira para os próximos dois jogos das Eliminatórias, foi a vez do técnico Tite falar à imprensa. Antes do jogo contra a Bolívia, nesta quinta-feira, o treinador falou sobre assuntos diversos, envolvendo tanto a amarelinha quanto clubes nacionais e internacionais. O primeiro tópico abordado pelo treinador foi se a lista para a Copa do Mundo já está fechada. A resposta foi "não".

"Mais do que falar, as ações falam por si só. O fato de ter convocado 4 atletas mostra que estamos atentos e estamos acompanhando. Faltam 9 meses, é um tempo importante. Há um espaço. É uma concorrência leal. Eles competem entre eles para estar na equipe, para ter um grande desempenho. Passa por aí", disse Tite, que ainda comentou a escolha de Alex Sandro para a lateral esquerda.

"Não faço teste com atletas de alto nível. As oportunidades aparecem por momento técnico ou por lesão. Que é o caso do Alex Sandro. Eles precisam competir entre eles, mais têm que ser leais. Joguem muito e cabe a mim e a comissão decidir. É uma grande oportunidade. Se eu fosse o Alex Sandro ia dentro. É assim mesmo", afirmou.

Quando perguntado se era o responsável por resgatar o espírito vencedor da Seleção, Tite desconversou e deu o crédito total aos jogadores. Ele ainda comparou a equipe com a amarelinha dos tempos de Telê Santana.

"Eu não resgatei nada. Eu tenho uma equipe muito legal. Um grupo de atletas que comprou uma ideia. É o futebol que entendo como o futebol do Telê Santana, do Ênio (Andrade). É o futebol que entendo de equipe. E fazer parte disso é legal", ressaltou.

Em seguida, Tite falou sobre o episódio envolvendo Neymar e Cavani no PSG. O treinador afirmou que não se intrometeu, que acompanhou tudo pela imprensa e que ficou muito feliz quando viu que os dois jogadores chegaram a um entendimento.

"Acompanhei tudo através da imprensa. Não busquei nenhuma informação. Ficou emblemático e vibrei, quando meteram uma bola para o Neymar e, de letra, deixou o Cavani na cara do gol. Vibrei quando o Neymar marcou de pênalti e apontou para o Cavani. Não é a situação egoísta de eu sou o cara. Isso é senso de equipe, é a grandeza. Meus olhos me fizeram vibrar", afirmou.

Tite ainda revelou que ainda está se adaptando à rotina de se treinar uma seleção nacional. O comandante afirmou que ainda está aprendendo a administrar as situações que são diferentes dos clubes, onde se tem tempo para avaliar.

"Vou falar da minha emoção. Em tão pouco tempo, eu fico pilhado. É minha oitava convocação. É pouco tempo junto. No dia a dia a gente nota quando o cara está cansado. Mas é pouco tempo. É um ano, que parece um mês. Tenho que aprender a administrar de outra forma. É diferente dos clubes", revelou.

Sobre o corte do meia Diego, do Flamengo, Tite revelou que chegou a conversar com o jogador, o tranquilizando e dando apoio nesse momento difícil que ele vive na carreira.

"Conversei com o Diego e falei duas coisas: se sinta em paz. Vive um momento difícil na equipe, foi para Campinas e deu o máximo. Isso é conduta, caráter e grandeza. Isso transcende futebol. Que ele se sinta orgulhoso apesar do sentimento de frustração", revelou Tite, que ainda comentou a situação do goleiro rubro-negro, Muralha.

"Pedi para ele dar um abraço no Muralha, que tem meu respeito humano. Eu não faria decisões por pênaltis, se pudesse escolher. Faria Golden Goal ou qualquer outra coisa. Acho pênaltis muito injusto com os cobradores e com os goleiros", afirmou o treinador.

Por fim, Tite deu sua opinião sobre o polêmico árbitro de vídeo. Completamente a favor, o treinador pensa que o propósito da sua implementação é válido.

"Para mim o árbitro é uma artífice de uma ideia correta. Qual é a ideia? Justiça O princípio é esse. Mas vai demorar? Isso é secundário. Foi pênalti, a bola entrou... A essência é o certo e o errado. Justo e injusto. Tudo o que vem depois é raso. Sou a favor sempre. O justo para mim é fascinante. E tem mais. Se tem vídeo, o atleta vai pensar dez vezes antes de fazer", completou Tite.

Bolívia e Brasil se enfrentam nesta quinta-feira, às 17h, no Estádio Hernando Siles, na altitude de quatro mil metros de La Paz. Depois, a Seleção encerra sua participação nas Eliminatórias para a Copa do Mundo contra o Chile, dia 10, na Allianz Arena, em São Paulo. O Brasil já tem o primeiro lugar garantido e só aguarda a definição das outras nações que o acompanharão rumo à Rússia em 2018.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos