Treino da Espanha não é aberto à torcida após xingamentos a Piqué

  • Rafael Marchante/Reuters

    Torcedor pede que Piqué deixe a seleção espanhola

    Torcedor pede que Piqué deixe a seleção espanhola

Depois de uma segunda-feira de protestos direcionados a Gerard Piqué, o treino da seleção espanhola, nesta terça (3), foi aberto somente a jornalistas. Nada de torcida no Ciudad del Fútbol de Las Roza, localizado em Madrid e que teve os comandados de Julen Lopetegui em preparação para os dois últimos jogos pelas Eliminatórias da Europa, contra Albânia (casa) e Israel (fora), dias 6 e 9 de outubro, respectivamente.

Há cerca de dois anos, Piqué sofre com críticas por seu posicionamento a favor da independência da Catalunha, como frisou no último domingo, quando, inclusive, votou no caótico referendo. Thiago Alcântara e Koke, companheiros do zagueiro na Fúria, falaram sobre a situação.

"Sempre que veio, Piqué teve a mesma atitude, compromisso e alegria de sempre. Ficamos chateados porque viemos para jogar futebol, não para falar da vida de ninguém. Ficamos chateados por não podermos estar cômodos e falar da Albânia. É um prazer estar na seleção, mas isso é chato", disse o meia Thiago Alcântara, do Bayern de Munique.

"O ambiente no vestiário não mudou. Estamos concentrados em ganhar e garantir a classificação ao Mundial. Sempre sentimos o apoio da torcida. Alicante gosta muito da seleção. Com certeza, percebemos esse carinho", disse Koke, do Atlético de Madrid.

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos