Mais que um jogo! Síria recebe a Austrália em repescagem histórica

No continente asiático, Irã, Coreia do Sul, Japão e Arábia Saudita já garantiram vaga na Copa do Mundo de 2018. Mas, por lá, a protagonista é a Síria. Defendendo as cores de um país assolado por uma guerra civil brutal, a seleção síria terá a chance de ir à Rússia via repescagens. O jogo de ida da fase da Ásia será diante da Austrália, nesta quinta-feira, às 9h30 (de Brasília), em Krubong, na Malásia - uma vez que não joga em seu país desde 2011.

A hipotética façanha já superou a fronteira local e, por conta de uma campanha heroica ao longo do classificatório, está no imaginário do mundo. Em entrevista, o capitão da seleção, Ahmad Al Salih, chegou a admitir que os próprios sírios estão surpresos com o improvável rumo da equipe.

- Podemos, sim, dizer que já foi uma surpresa termos chegado entre os 12 times da fase decisiva. Temos enfrentado muitas dificuldades. Não podemos jogar em casa, nem disputar amistosos. A maioria dos jogadores joga fora do país, então nos reunimos dois ou três dias antes de cada partida - comentou Al Salih, recentemente, ao site da Fifa, emendando, emocionado:

- Temos um orgulho imenso de ver nossa bandeira e ouvir nosso hino. Queremos espalhar nossa mensagem: podemos conseguir nossos objetivos no futebol apesar do sofrimento. Jogamos pela alegria do nosso povo - concluiu o líder do surpreendente time asiático, que vê, agora de longe, sua terra em uma crise humanitária, com 7,6 milhões de desalojados, 4,8 milhões de refugiados, 470 mil sírios mortos e 3,3 mil civis estrangeiros assassinados.

Esta será a primeira vez que a Síria, zebra, e a Austrália, ampla favorita, se enfrentarão oficialmente. O jogo de volta está marcado para terça, dia 10, em Sydney, no país da Oceania. Depois, ainda restarão dois degraus. Quem passar, enfrentará o quarto colocado da Concacaf, para, aí sim, carimbar o passaporte rumo à Rússia.

James Troisi, camisa 10 dos Soccerros e goleador do Melbourne Victory, projetou a perna dos decisivos duelos pelas Eliminatórias. Ele reconheceu a ótima campanha dos próximos rivais, porém afirmou saber o que é necessário executar para dar o próximo passo de olho na Copa.

- Todos os créditos para eles (da Síria), que estão onde estão porque merecem muito estar. Acho que precisamos nos certificar de que façamos as coisas que sabemos. Conhecemos a fórmula que dá resultado, então, se conseguimos executar conforme previsto, é muito difícil nos vencer - comentou Troisi.

TERCEIRA FASE DAS ELIMINATÓRIAS

Tanto a Síria quanto a Austrália ficaram nas terceiras colocações de seus respectivos grupos. A Síria, no Grupo A, somou 13 pontos ao fim de dez rodadas, chegando à repescagem pelo quesito saldo de gols. Em suma, no limite e na emoção.

Se o quesito saldo de gols ficou ao lado dos sírios, o mesmo não se pode dizer em relação aos australianos. Ao contrário. O time comandado por Ange Postecoglou não se classificou de forma direta, no Grupo B, por ter ficado atrás da Arábia Saudita (no segundo posto e com os mesmos 19 pontos da Austrália), por duas bolas na rede a menos. Chegou a hora da verdade no Oriente!

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos