Cobrado, Jadson promete volta por cima e vê Corinthians fechado por título

  • Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

São oito gols marcados e cinco assistências em 39 partidas na temporada. Ídolo do Corinthians campeão brasileiro e repatriado após um ano na China como principal reforço de 2017, Jadson não vive atualmente o seu melhor momento pelo clube. São constantes os pedidos ao técnico Fábio Carille para que mude a configuração do time ideal, mas ele não abre mão do camisa 10.

Aos 34 anos, Jadson já viveu os altos e baixos do futebol e admite que não vem bem. Prova disso é o fato de ele ter sido substituído no intervalo das duas últimas partidas do Corinthians no Campeonato Brasileiro, contra São Paulo e Cruzeiro. Nas duas ocasiões o clube era derrotado no primeiro tempo e só alcançou o empate na etapa complementar, sem o camisa 10. Ainda assim, o corintiano acredita na retomada a partir desta quarta, contra o Coritiba.

"Eu venho sendo muito cobrado ultimamente, mas estou trabalhando firme, focado para dar a volta por cima e até o fim do ano, se der tudo certo, voltar ao meu bom futebol e dar alegrias à torcida novamente. É sonho de todo jogador ser campeão brasileiro e já realizei, então ser campeão outra vez será uma realização ainda maior", disse Jadson, que confia no grupo de jogadores para mudar o panorama do segundo turno.

"Campeonato difícil. Ainda tem 12 jogos, nada decidido. Nossa equipe fez um bom primeiro turno e no segundo está indo aos poucos, tentando reencontrar aquele futebol. Mas o grupo é bom, tem jogadores de qualidade, está fechado, sem rixas. Isso faz um time ser vencedor. Se continuarmos dessa maneira temos tudo para conquistar o título", disse.

Depois de alcançar a melhor campanha da história de um turno do Campeonato Brasileiro na primeira metade desta edição, o Corinthians já disputou sete jogos do segundo turno e a fase não é das melhores: duas vitórias, dois empates e três derrotas que deixaram a vantagem na liderança para oito pontos restando 12 rodadas para o fim.

Sem vencer há quase um mês, desde 17 de setembro, o Corinthians tem apostado em alternativas de jogo no dia a dia de treinos para encontrar soluções em meio à má fase. Já foram testadas escalações com Rodriguinho de segundo volante e Jadson centralizado, ou Jadson na esquerda em vez da direita tradicional ou com dois atacantes ou até com Clayson na vaga de Jadson. O camisa 10 sabe que, mesmo com sua titularidade em xeque, o foco precisa ser a retomada urgente do Timão no Brasileiro.

"Eu tenho um diálogo muito bom com o Carille, é um cara que dá diálogo para todos os jogadores. Às vezes ele pensa de uma maneira e passa para mim. Então não tem muita diferença jogar pelo lado esquerdo ou direito ou no meio. São testes e análises que ele faz para ver se surtem algum efeito durante o jogo. Isso faz parte do futebol, nenhuma equipe consegue manter o mesmo nível o ano inteiro. Estamos passando por essa oscilação e o Carille está tentando de alguma forma deixar a equipe mantendo o padrão do primeiro turno", diz o contestado camisa 10.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos