Botafogo joga mal, mas vira no fim impede novo tropeço em casa

Emocionante. O Botafogo esteve longe dos seus melhores dias, saiu perdendo no Nilton Santos, mas virou e venceu a Chapecoense por 2 a 1, em noite de atacantes. Brenner e Vinicius Tanque fizeram os gols do triunfo alvinegro. Apodi foi quem abriu o placar para o time catarinense.

O resultado deixa o time do técnico Jair Ventura com 43 pontos, mas permanece em sexto, empatado com o Palmeiras, e a um ponto do Cruzeiro, que já jogou e é o último time do G4. Na próxima rodada, o Glorioso visita o Vasco, no Maracanã, no domingo. Já a Chapecoense permanece em 12°, com 32 pontos.

Botafogo tem início apagado

Sonolento. Este adjetivo expressa bem o que foi o primeiro tempo. Tanto que até os 15 do primeiro tempo, houve apenas uma boa finalização. Wellington Paulista, da Chapecoense, de cabeça, mas Gatito, que surpreendeu e jogou, pegou. O Botafogo apostava em passes em profundidade para Brenner, em vão. O Alvinegro ainda viu Bruno Silva invadir bem a área, mas cruzar mal.

O mesmo volante fez o Botafogo acordar, aos 18, mas o time logo voltou a dormir. Bruno Silva aproveitou sobra após cruzamento de João Paulo, que Jandrei foi mal na bola.

Antes do fim do primeiro tempo, o Botafogo voltou a acordar, mas ainda era pouco. Brenner, uma em impedimento, e a outra em cabeçada, teve duas boas chances. Guilherme também se destacou na reta final, com boas jogadas de corpo. Em uma delas, recebeu na direita, limpou a marcação, e chutou do meio. A bola passou por cima.

No segundo tempo, o Alvinegro voltou mais disposto, mas era fraco na criação. Arnaldo e Guilherme ofereciam mais perigo aos catarinenses, mas Jair Ventura se viu obrigado a lançar mais um meia: aos 13, lançou Marcos Vinicius e sacou Matheus Fernandes, mais defensivo e amarelado.

Mas foi a Chapecoense quem marcou, logo no minuto seguinte. E foi um gol significativo. No auge dos seus 1,72, o lateral Apodi, sozinho, marcou de cabeça após cruzamento de Túlio de Melo e bobeira de Victor Luis

Torcida pede Pimpão

João Paulo respondeu com um chute de fora da área, mas a torcida, impaciente com mais uma derrota em casa e a postura do time, queria mais e pediu Pimpão. Ele entrou no lugar de Guilherme, mas foi Brenner quem marcou, aos 21, de cabeça, após cobrança de falta de João Paulo.

Dali até o apito final, o cenário estava bem desenhado: insatisfeito, o Bota partiu para cima da Chapecoense, que se segurava. A insistência deu certo. Pimpão desempatou, mas o gol foi anulado. O Botafogo não se entregou e virou com Vinicius Tanque, após cruzamento de Pimpão, aos 50.

FICHA TÉCNICA

BOTAFOGO 2 x 1 CHAPECOENSE

?

Local: Nilton Santos, em Rio de Janeiro (RJ)

Data/hora: 11/10/17 (quarta), às 19h30

Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)

Assistentes: Jose Eduardo Catza (RS) e Mauricio Coelho Silva (RS)

Público/Renda:

Cartões amarelos: Apodi, Moisés Ribeiro e Douglas Grolli (CHA); Matheus Fernandes (BOT)

GOLS: Apodi, aos 14'/2° T (0-1), Brenner, aos 21'/2°T (1-1) e Tanque, aos 50'/2°T

BOTAFOGO: Gatito; Arnaldo, Carli, Igor Rabello e Victor Luis; Matheus Fernandes (Marcos Vinicius, 13'/2°T) Bruno Silva, Rodrigo Lindoso e João Paulo; Guilherme (Pimpão, 21'/2°T) e Brenner (Vinicius Tanque, 33'/2°T). Téc: Jair Ventura

CHAPECOENSE: Jandrei; Apodi, Grolli, Fabrício Bruno e Reinaldo; Canteros, Moisés Ribeiro (Elicarlos, 40'/2°T) Lucas Mineiro e Alan Ruschel (Penilla, 15 '/2°T); Túlio de Melo e W.Paulista. Téc: Emerson Cris

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos