Suposto recebimento de 'mala branca' irrita membros do Cruzeiro

Depois de garantir o título da Copa do Brasil e vaga na Libertadores de 2018, o Cruzeiro seguia o cronograma da temporada com tranquilidade, já que não briga pelo título do Campeonato Brasileiro. Entretanto, a calmaria deu lugar a tempestade nesta quinta-feira, quando foi publicada uma notícia de que os jogadores teriam recebido R$ 500 mil de 'mala branca' após o empate em 2 a 2 com o Palmeiras, na última segunda. A informação deixou comissão técnica, dirigente e atletas um tanto furiosos.

Na matéria, publicada pelo portal UOL, o veículo confirma ter ouvido relato de pessoas ligadas a pelo menos cinco jogadores do Cruzeiro, que confirmam a acusação. O portal não menciona se o dinheiro foi repassado pelo Corinthians ou de alguém ligado ao clube, nem quantos jogadores teriam sido "beneficiados".

Descontentes com a notícia, alguns atletas do time celeste se manifestaram contra o posicionamento do portal. Thiago Neves foi o primeiro a sair em defesa do clube e de seus companheiros.

- Não precisamos de mala branca pra ter motivação para ganhar os jogos, independente da situação de qualquer time no campeonato. Vamos sempre entrar pra ganhar, porque o nosso time é bom e tem condições de ganhar de qualquer um! Não recebemos nada e como falei, não precisamos disso, então parem de querer colocar coisas aqui dentro do Cruzeiro! - publicou em seu perfil no Twitter.

Minutos após a veiculação da matérias, o lateral Diogo Barbosa cobrou mais atenção aos jornalistas que apuraram as informações contidas no texto.

- Vocês têm de apurar melhor isso aí - disse o atleta.

Capitão do time, o volante Henrique também se pronunciou, com um tom de sarcasmo.

- Fala para quem escreveu, para mandar a mala. Ainda não chegou nada para a gente, não.

Após a propagação da matéria, os jogadores pediram à diretoria que posicionasse oficialmente a respeito da suposta "mala branca". Por conta disso, o atual gerente de futebol Tinga, organizou uma coletiva de imprensa para comentar o assunto. Em seu pronunciamento, o dirigente afirmou que os atletas e comissão técnica da Raposa nunca aceitariam dinheiro de outro clube como incentivo e pediu o encerramento do assunto.

- Venho aqui para falar em nome dos atletas sobre esse assunto da mala branca. Primeiro, os jogadores, a comissão técnica são extremamente profissionais e jamais participariam de uma coisa dessas. Às vezes, as pessoas acham que por termos vencido a Copa do Brasil vamos jogar de qualquer jeito, e o clube joga sempre para vencer, e as pessoas, às vezes, ficam desapontadas e acham que o Cruzeiro iria passear. Como não aconteceu, acabam inventando uma coisa ou outra. A gente não pode alimentar isso porque porque fica na cabeça que os jogadores são mercenários, e o Cruzeiro jamais jogou por isso. Eles foram campeões, e os jogadores nunca dependeram disso, nunca colocaram dinheiro à frente do sonho deles. Então, é mais para encerrar isso, porque acho que vocês contribuem para isso, a imprensa contribui para o bem do futebol, e o bem do futebol não é alimentar essas coisas. O Cruzeiro, o único clube já garantido na Libertadores do ano que vem e que já ganhou uma competição nacional este ano, nunca deixou de jogar da mesma forma, buscando vitória. Queremos pedir para dar por encerrado isso. Garantindo aqui que os jogadores são profissionais que estão incomodados com isso - declarou Tinga.

Focado na reta final do Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro deu sequência aos treinos nesta quinta-feira, visando a partida contra o Atlético-PR, marcada para o próximo domingo, às 17h, no Mineirão. A equipe ainda tem mais dois treinos pela frente antes do duelo, válido pela 32ª rodada.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos