O que o Botafogo precisa melhorar pela vaga na Copa Libertadores

  • Luciano Belford/AGIF

A derrota para o Fluminense, no último sábado, foi um balde d'água fria na expectativa do torcedor do Botafogo. Aqueles que esperavam uma aproximação do Glorioso ao G4 viram a repetição de alguns filmes. Esses roteiros precisam ser alterados a partir de quarta-feira, contra o Sport, sob pena de a vaga na Copa Libertadores do ano que vem começar a ficar a perigo.

O primeiro problema que o time precisa superar é simples: gerar mais chances. Sem gol contra o Atlético-MG e com apenas 20 minutos de criatividade contra o Fluminense, a equipe vai ter de fazer mais em Recife (PE). Para tanto, terá o retorno de João Paulo, que se não é um "camisa 10", é importante na mecânica do meio-campo alvinegro.

Outro desafio de Jair Ventura é tático: lidar com as fases pouco artilheiras dos atacantes Rodrigo Pimpão e Guilherme. O primeiro, habitualmente titular, deu mais uma assistência (a 12ª no ano), mas não vive bom momento técnico e não faz um gol desde 10 de agosto. O reserva dele perdeu boa chance contra o Galo, e não marca desde 24 de setembro.

Nos jogos em casa, o controle do placar se tornou um problema. Além do revés para o Fluminense, neste mesmo Brasileiro o Glorioso esteve à frente no marcador contra Palmeiras e Vitória, quando também perdeu.

A fase da equipe como um todo não é das melhores. Até Gatito Fernández, que vive excelente ano, tomou um gol do Fluminense no qual a bola foi chutada próxima à trave e, que ele também estava. A vitória sobre o Corinthians, três rodadas atrás, foi a única nos últimos cinco jogos. São cinco pontos dos últimos 15. Obviamente, para garantir a Libertadores, é preciso fazer mais.

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos