Botafogo aproveita erro de Magrão, afunda o Sport e se fixa no G6: 2 a 1

Após dois jogos sem vencer, o Botafogo se reabilitou, diante do Sport, na noite desta quarta-feira, na Ilha do Retiro. Com gols de Bruno Silva e Marcos Vinícius, o Alvinegro bateu o Leão por 2 a 1, em jogo da 33ª rodada do Brasileirão. André, no fim, descontou para os donos do casa.

Com o resultado, o time comandado por Jair Ventura mantém-se em sexto, com 51 pontos, e segue firme na luta por uma nova vaga na Libertadores. Na próxima rodada, o Glorioso recebe o Atlético-PR, no Nilton Santos, no sábado, às 17h. Já o Leão entrou no Z4, está em 17°, com 36 pontos. No domingo, o Rubro-Negro visita o Atlético-GO.

Os donos da casa começaram melhor, no campo de defesa do Botafogo, que tinha dificuldades para sair e ainda viu o goleiro Gatito Fernández fazer uma bela defesa em chute de Patric. Parecia que seria difícil, mas o Sport, pior defesa da competição, deu uma colaboração. O goleiro e ídolo Magrão, aos 14, homenageado antes do jogo, saiu errado após um recuo. Bruno Silva foi oportunista e abriu o placar em Recife.

O gol acordou o Glorioso e, de quebra, amansou o Leão. Quatro minutos depois, o meia Marcos Vinícius ampliou para o Alvinegro, em chute da entrada da área após bela jogada individual. Foi o quinto gol dele no ano, todos pelo Brasileirão e pelo segundo jogo consecutivo. Depois da Blitz botafoguense, a partida adormeceu.

Na volta do intervalo, os cariocas voltaram sem Lindoso e com Matheus Fernandes. O time perdeu em poder de marcação e o Sport cresceu e se não fossem duas boas defesas de Gatito, o estrago poderia ser maior. Jair Ventura ainda lançou Guilherme, no lugar de Brenner, e colocou Gilson na vaga de João Paulo, mas pouco mudou. O ritmo sonolento do fim do primeiro tempo voltou após os 15 da etapa final.

No fim, André coloca emoção em jogo sonolento

Raros foram os momentos de levantar o torcedor do sofá, como por exemplo, aos 17. O meia lançou Pimpão e Guilherme. O titular estava em posição legal, mas foi seu substituto natural quem tocou na bola. Pouco depois, Patrick foi à linha de fundo, mas Igor Rabello, com exibição de gala, tirou. Sport e Botafogo eram tão ineficientes que antes dos 35 já tinha torcedor deixando a Ilha do Retiro.

Eram, mas aos 41 o Sport, com André, deu emoção à reta final: após bate e rebate na área, a bola sobrou para o atacante, que cara a cara com o goleiro, não vacilou: 2 a 1. O Leão assustou na reta final, mas foi Guilherme quem arrancou e chutou para fora, aos 46.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos