Com apoio de 60 mil e Modric, Croácia joga para abrir vantagem

Croácia e Grécia iniciam, nesta quinta-feira, a repescagem para a Copa do Mundo de 2018, na Rússia. O duelo ocorre às 17h45 (de Brasília), no Estádio Maksimir, em Zagreb, que tem 60 mil lugares e terá lotação máxima.

A Croácia entra motivada com a sua classificação em segundo lugar

quase milagrosa, já que foi obtida ao vencer (e eliminar) a Ucrânia por 2 a

0 fora de casa, isso depois de trocar o treinador três dias antes (saiu Ante

Cacic e entrou Zlatko Dalic). O desfalque croata será Lovren.

O jogador do Liverpool está com problemas musculares e Dalic resolveu poupá-lo para o jogo da volta, que ocorrerá na Grécia no domingo. Assim, os croatas apostam as suas fichar nos seus fortes volantes, Modric (Real Madrid) e Rakitic (Barcelona), na boa fase de Kramaric (Hoffenheim), que fez os dois gols sobre os ucranianos e na força de Mandzukic (Juventus) no ataque.

Na Grécia, que terminou em segundo lugar no Grupo H, o técnico alemão Michel Skibbe não terá o zagueiro Maloas (Roma) que está suspenso. O veterano Sokratis Papatathopoulous (Borussia Dortmund) entra em seu lugar e estratégia deve ser um time muito fechado, com Mitrouglou (ex-Benfica e hoje no Olympique) isolado na frente e o português naturalizado grego Zeca à

frente dos zagueiros.

IRLANDA PRECISARÁ FREAR OS EFICIENTES SUÍÇOS

No outro jogo de repescagem desta quinta, em Belfast, no Windsor Park, às 17h45 (de Brasília), a Irlanda do Norte enfrenta a Suíça, querendo mostrar que o favoritismo do rival não evitará o sonho da classificação a uma Copa do Mundo pela primeira vez desde 1986.

Sem grandes astros na equipe, a Irlanda do Norte obteve uma classificação tranquila: como sabia que seria impossível roubar a vaga direta da Alemanha em seu grupo (C) e administrou bem a sua diferença para a República Tcheca, que terminou em terceiro lugar, mostrando excelente esquema defensivo (levou apenas seis gols em dez jogos). O técnico Michael O'Neill terá força máxima, já que seu principal jogador, o apoiador Jonny Evans (West Ham) se recuperou das dores musculares.

Na Suíça, a motivação é grande. O time fez excelente campanha nas eliminatórias, com nove vitórias e uma derrota, assim como Portugal, mas

perdeu a vaga direta para os portugueses no saldo. Todos creem que o

time mostrará a sua força ofensiva e sairá para o jogo da volta, no domingo, na Basileia, com boa vantagem e o passaporte para a Rússia bem encaminhado.

O treinador Vladmir Petrovic terá o desfalque do zagueiro Djourou (Antalyaspor), com lesão no joelho. Lang, que atua no suíço Basel, o substituirá.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos