Túlio Maravilha garante: 'Mesmo com 'politicamente correto', ainda há espaço para criatividade no futebol'

A luta para "driblar" as restrições impostas pela Fifa e manter o tom espirituoso das comemorações de gol parece árdua. No entanto, Túlio Maravilha aponta que o caminho sempre tem de ser a criatividade. Em entrevista ao LANCE!, o artilheiro reconheceu que quem está nos gramados agora passa por desafios, inclusive, ao pensar na maneira que demonstrará sua felicidade à torcida.

- Está tudo muito "politicamente correto". Com a situação atual que o país vive, de tolerância zero a qualquer tipo de provocação até em comemoração de gol. Tudo acaba levado para o lado pejorativo.

Aos seus olhos, os jogadores parecem "atados" até para pensar em alguma comemoração:

- A impressão é de que falta criatividade aos jogadores, de dedicar o gol a um parente, fazer uma coreografia, uma autopromoção... Hoje vai tudo muito pela blindagem, e o jogador, por ser um exemplo, vira refém disto. Ele sabe que qualquer deslize pode repercutir mal.

TÚLIO 'ELEGE' COMEMORAÇÕES CRIATIVAS DO FUTEBOL ATUAL

No entanto, o irreverente ex-jogador fez um alerta: o bom humor nas comemorações permanece em campo para a torcida. Túlio destacou o que mais lhe chamou atenção entre as celebrações nos gramados:

- O Romero teve criatividade mesmo com a comemoração do "selfie" após um gol (em um dos gols da vitória por 3 a 2 do Corinthians sobre o Palmeiras, no último domingo). Hoje o mundo é virtual, tem Internet. Além de não ser pejorativo, em um segundo ele saiu no mundo todo.

O campeão brasileiro de 1995 pelo Botafogo ainda destacou outras celebrações atuais:

- Acho que é legal fazer comemoração enigmática, ter marca registrada. O Cristiano Ronaldo fica parado, o Ricardo Oliveira faz aquela careta...

GOLEADOR SUGERE ALTERNATIVAS PARA EVITAR CARTÃO EM COMEMORAÇÃO

Segundo a Regra 12 da CBF, a punição acontece caso o atleta suba equipamentos de proteção ou lugares onde estão espectadores e em comemorações vistas como "provocativas, debochadas ou inflamatórias". Também está prevista advertência para quem cobrir a camisa ou rosto com máscara ou artigo semelhante, e para o jogador que tirar a camisa ou cobrir o rosto com ela.

Túlio reconheceu que algumas de suas comemorações não teriam espaço no atual momento:

- Olha, depois do gol, eu levantava a camisa que dizia "Cristiane, meu amor". Eu ia para o orelhão do Maracanã e ligava para minha mãe. Se bem que o Gabriel Jesus fez aquela menção de que ligava de celular...

Mesmo assim, Túlio viu caminhos para despertar a irreverência da torcida:

- Ué, isso é fácil. Não pode usar máscara? Faz uma careta! Não precisa subir no alambrado, pendura na rede. Em vez de tirar a camisa, mostra o símbolo do clube, você ganha moral. Em vez de ir para a torcida, faz uma cambalhota, combina com o pessoal do banco, faz pose para tirar uma foto, para dizer que "tá podendo".

O ex-atacante ainda "sugeriu" caminhos para o jogador se inspirar. E até deixou uma ideia de comemoração para a nova geração:

- Na rede social, seria legal você pesquisar, ir a fundo, procurar comemorações criativas antigas, pensar em outras... Que tal na hora época de comemorar, meter um espadrado na boca? Uma comemoração de protesto! Faz um contrato com a marca, e mete um esparadrado na boca, brincando com isto de ter tanta regra.

A irreverência segue como um bom caminho para manter o bom humor no futebol.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos