Estilo de Zeca e inteligência tática: o perfil do reforço do Santos

  • Divulgação

    Romário, que defendeu o Ceará em 2017, vai reforçar o Santos na próxima temporada

    Romário, que defendeu o Ceará em 2017, vai reforçar o Santos na próxima temporada

Está com saudades dos tempos áureos de Zeca no Santos? Então saiba que o recém-contratado Romário promete preencher o vazio na lateral esquerda do seu peito. O atleta tem características de jogo muito semelhantes às do camisa 37 do Santos, inteligência tática acima da média e um perfil que se encaixa perfeitamente ao Peixe, conforme informações apuradas e depoimentos colhidos pelo LANCE!.

De acordo com João Paulo Sanches, ex-auxiliar e hoje técnico do Atlético-GO que trabalhou com Romário em 2016, o lateral-esquerdo gosta do jogo aproximado, de trabalhar curto, avançando com a bola; ultrapassa pouco sem bola, dando pouca opção em lances de fundo; ajuda a construir jogadas em seu setor com o passe; tem um cruzamento de regular para bom; é um dos melhores cobradores de pênaltis vistos em sua carreira; tem leitura e posicionamento defensivo muito bons, sendo um jogador muito tático; é mais parecido com o Zeca e menos com o Ferraz; tem bom domínio de bola e bom cabeceio, apesar de ter apenas 1,71m de altura; tem bom chute de pé direito na diagonal mesmo sendo canhoto; e é competitivo.

E João não brinca quando fala sobre a competitividade de Romarinho. Marcelo Cabo, ex-treinador do atleta em 2016, pelo clube Goiano, fez questão de recordar um episódio em que o jogador insistia em ir a campo mesmo com dores no pé.

"No final do primeiro turno ele quebrou um dedo do pé e ficou muito triste. Tivemos o período de recuperação e transição e ele em uma ansiedade muito grande para voltar. Tentou treinar, mas decidimos poupá-lo, e ele voltou a ficar triste. Tivemos que conversar muito. Ele se propôs a jogar mesmo com dor no pé em que quebrou um dedo, de tanta entrega e foco no trabalho. O convencemos e ele se recuperou e teve uma reta final maravilhosa. Foi muito marcante vê-lo querer jogar com dor no pé para ajudar a equipe", relembrou.

Essa determinação dentro de campo existiu por causa das dificuldades que o jogador de 25 anos enfrentou em sua trajetória no futebol. Atualmente, Romário disputa a Série B pelo Ceará, mas teve que encarar a queda do Avaí, clube pelo qual atuava em 2015, e no ano seguinte, a eliminação no Campeonato Goiano pelo Anápolis. Porém, apesar de iniciar o Brasileiro com desconfiança, deu tempo de ser campeão pela Série B, no Atlético-GO.

Quem se lembra muito bem do título é o ex-companheiro de equipe Marllon, hoje zagueiro da Ponte Preta. Além da comemoração com o caneco em campo, os parceiros se encontraram no apartamento do defensor, no Rio de Janeiro, para celebrar a conquista mais uma vez.

"Me lembro de levantarmos o título da série B juntos, em um ano que não começou muito bem... Sendo eliminado no Campeonato Goiano e em seguida começando o Brasileiro sem a confiança de muitos. Demos a volta por cima e saímos vitoriosos. Passamos a virada de ano juntos, combinamos na última semana do mês e ele acabou ficando. Apresentei um pouco da minha comunidade (Bambu) e sem deixar de comemorar o título, é claro! (risos). Ele é um moleque de ouro. Um irmão que a bola me deu", recordou Marllon.

Com destino à Baixada Santista e uma bagagem de peso, fica o questionamento: Romário preencheu o vazio na lateral esquerda do seu peito?

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos