'Ausências de Itália, Holanda e EUA trarão impacto financeiro à Copa-2018', diz especialista

O impacto das ausências de algumas seleções de destaque na Copa do Mundo de 2018 pode ir bem além das quatro linhas. Especialista em Análise Financeira, Amir Somoggi aponta que a audiência da competição tende a sofrer um baque sem Itália, Holanda e Estados Unidos.

- As tradições de uma Itália, que tem quatro Copas do Mundo, ou de uma Holanda, finalista em três Mundiais, aumentam o interesse dos espectadores e também dos torcedores que vão acompanhar o torneio no país-sede. É um baque - afirmou, ao LANCE!.

Já em relação aos americanos, o viés se volta para a dimensão do mercado:

- Mesmo com os Estados Unidos não tendo tradição esportiva em Mundiais, são a terceira força em termos de audiência no mundo. Isto causa um impacto sensível, em especial em uma época em que se intensificou novamente o interesse dos americanos no "soccer".

O consultor de marketing e gestão esportiva ainda crê que o impacto afete o mercado em torno das seleções. Isto explica a frustração da fornecedora esportiva da seleção da Itália:

- Para fornecedoras de materiais esportivos, também há um impacto. O histórico da Itália faz despertar público de todos os cantos do mundo. Quando a Azzurra fica fora de uma Copa do Mundo, há uma perda imediata, pois ela não está em evidência no cenário.

Somoggi ainda aponta uma queda nos índices internos de cada país:

- Há um enfraquecimento no futebol localmente. Durante a Copa do Mundo, há um aumento do comércio, devido ao consumo de comidas e bebidas para acompanhar as transmissões. Haverá um freio no comércio, porque a ausência da seleção diminuirá o interesse dos torcedores.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos