Chape comemora permanência na Série A após quase um ano da tragédia aérea

A Chapecoense parece não cansar de emocionar. Na noite da última quinta-feira, a equipe bateu o Vitória por 2 a 1 e garantiu sua permanência na Série A em 2018. Após a partida, arquibancada e torcida estavam em festa. O time entoou o famoso canto de "vamos, vamos Chape" no vestiário, reconhecendo a importância dos pontos conquistados sobre o Vitória. Além da permanência na elite do futebol, a equipe se aproxima do fim da temporada sem incerteza de um ano de reconstrução após o acidente que está prestes a completar um ano.

Não foi fácil chegar até aqui. A equipe precisou suar muito em campo depois de perder seus principais atletas. Persistente e com nova formação, a Chape conquistou o título do Campeonato Catarinense sob comando de Vagner Mancini, que foi demitido durante o Brasileiro após uma sequência de resultados ruins. Para seu lugar, a diretoria contratou Vinícius Eutrópio, que não obteve o rendimento necessário e deixou Chapecó.

Sem muitas opções, o interino Emerson Cris assumiu o grupo principal do Verdão do Oeste, mas poucos meses depois Gilson Kleina foi anunciado para ajustar a equipe nos eixos, na reta final da competição. A temporada oscilante prejudicou o time diversas vezes na temporada e a torcida, magoada pela quantidade de resultados ruins, tentava, ao máximo, buscar forças para continuar apoiando.

Tanta dedicação valeu a pena. Após vencer o Leão, a Chape subiu três posições na tabela e chegou aos 47 pontos, número determinante para garantir sua permanência na primeira divisão. A conquista foi comemorada como um título para os atletas, que deram o máximo em campo para atingir o objetivo.

- Por tudo que a gente passou na temporada, não estava ano passado, mas sofri igual a todos nessa cidade. Acho que a permanência na Série A, foi para os que foram, a gente não poderia decepcionar, então fico feliz. Encontrei um grupo que me abraçou de uma forma inexplicável. Só tenho a agradecer. Chape é Série A em 2018. Bom tirar esse peso. Dá pra trabalhar, buscar vaga na Sul-Americana, e quem sabe, com o trabalho e força de vontade, até uma vaga na pré-Libertadores - declarou Fabrício Bruno.

A chuva, grande conhecida da Arena Condá, esteve presente mais uma vez, assim como quando a Chapecoense cravou sua continuidade na Série A do Brasileiro depois de vencer o Inter também pela 35ª rodada. Ela, que também fez questão de se misturar às lágrimas das pessoas ligadas aos guerreiros que foram vítimas da tragédia na Colômbia, voltou nesta quinta-feira, para limpar os sentimentos de dúvidas e trazer a emoção àqueles que continuaram lutando pelo crescimento do time.

- Aquela vez a gente estava em um momento difícil, cobrando muito, e conversei na boa, que a gente não abandonaria, a gente lutaria até o fim, e está aí o resultado. Está cumprido, manter o time na Série A, pelo menos no mesmo patamar que os guerreiros do ano passado deixaram - disse Túlio de Melo.

Maninho, presidente da Chapecoense, também expressou sua admiração pelo trabalho realizado por todos do clube para que o objetivo fosse concluído.

- O esforço da Chape esse ano foi além do normal. Estou muito feliz.

De olho em 2018, a Chapecoense ainda volta aos gramados neste domingo para enfrentar o lanterna Atlético-GO às 17h, no Serra Dourada. Em seguida, a equipe já tem encontro marcado com o Bahia, no dia 26. O último desafio do Campeonato Brasileiro será contra o Coritiba, no dia 3 de dezembro.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos