Marquinhos enaltece goleiro Maurício e revela previsão para se aposentar

  • EDUARDO VALENTE/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

Quebrando sequência de cinco jogos consecutivos sem vitória, o Avaí conquistou os três pontos no confronto com o Palmeiras. Com 39, está a um ponto do Vitória, primeiro time fora da Z-4. O sonho do Leão da Ilha de permanecer na Série A do Campeonato Brasileiro continua vivo.

Com mais dois jogos pela frente, o time enfrenta o Atlético-PR, na Ressacada, e o Santos, na Vila Belmiro, pela última partida da competição. Autor de um dos gols da partida desta noite, Marquinhos exaltou o desempenho do goleiro Mauricio Kozlinsk, muito contestado pela torcida, e também elogiou a garra da equipe.

- A gente descansa carregando pedra. Todo mundo lutou, batalhamos bastante. A gente está contente, né? Para mim é mais um jogo, mais uma batalha, mais um gol. A gente sabe que é uma cobrança muito grande, já é pra gente, imagina pra um goleiro voltando depois do jogo contra o Fluminense, que ele foi infeliz em alguns lances. Hoje ele mostrou que tem qualidade.

O camisa 10 Marquinhos, de pênalti, abriu o placar para o Leão da Ilha e Lourenço ampliou em menos de cinco minutos. Aos 29 do segundo tempo, Keno diminuiu para o Porco, mas a equipe de Santa Catarina conseguiu manter o resultado. 

- Por mais que a gente passasse motivação pra ele [Kozlinsk] e acreditasse nele, ele tinha que mostrar a qualidade que o colocou aqui e o botou como melhor goleiro do Catarinense. A gente fica contente de poder dar alegria para o torcedor, de ver um companheiro dar volta por cima e mais do que nunca estar vivo numa competição tão difícil como é o Brasileiro - ressaltou o meia.

Para Marquinhos, se manter na Série A significará tanto quanto ganhar o título. Ele ainda comentou que espera apoio dos torcedores para o próximo jogo.

- A permanência é como se fosse o título. Imagina vindo como a gente vem vindo, a trancos e barrancos. Temos ainda que vencer os próximos dois jogos pra poder sair disso. É uma batalha. Agora é descansar e pensar já no Atlético-PR e que o torcedor possa comparecer e nos apoiar como hoje - afirmou o jogador.

Sobre a aposentadoria, o meia não deu data certa mas contou que já tem uma previsão para deixar os gramados:

- Final do ano que vem. Eu não aguento mais. Se eu não tiver alguma situação pelo meio do caminho, ano que vem é meu último ano. Fico bastante contente de poder ter feito tudo aquilo que eu pude fazer.

UOL Cursos Online

Todos os cursos