Indefinição sobre presidente prejudica planejamento do Vasco

A instabilidade política do Vasco com a indefinição sobre quem será o presidente do próximo triênio prejudica o planejamento do clube para 2018. Não só no departamento de futebol, mas em todas as áreas que envolvem algum tipo de negociação. Sem saber quem comandará, a confiança na mesa de negociação tende a não ser plena, como por exemplo com possíveis reforços - o que pode atrapalhar no momento de garantias para cumprimento de contrato.

Com a polêmica urna 7, a chapa Reconstruindo o Vasco, de Eurico Miranda, foi a vencedora, com a Sempre Vasco Livre, de Julio Brant, ficando em segundo lugar. Em decisão liminar na primeira instância, a qual cabe recurso, a situação mudou: os votos na urna 7 foram desconsiderados e, com isso, a chapa de Brant ficou na frente da qual Eurico participa.

Na última quarta, o grupo de Fernando Horta, da Mudança com Segurança, entrou com pedido de impugnação da Reconstruindo o Vasco por supostas irregularidades estatutárias e, se aceito, dá um terceiro cenário, com Julio Brant em primeiro e o próprio Horta em segundo. Em janeiro, na eleição do Conselho Deliberativo que escolhe a Diretoria Administrativa, o primeiro colocado desta primeira fase da disputa indica 120 nomes, com a indicação de 30 do segundo colocado.

Não há indicação de prazo para que a decisão judicial entre na figura transitado em julgado, quando não caberia mais recursos. Nos bastidores, membros de oposição acreditam que as irregularidades estatutárias na chapa de Eurico Miranda que vieram à tona na última quarta-feira podem acelerar o processo. Veem que não caberia mais recurso e discussão interna se a chapa de Eurico acabar sendo impugnada via estatuto internamente.

- É importante tocar nesse assunto, porque desde que chegamos uma das providências era de que nada iria atrapalhar nosso trabalho. O clube estava passando por um período eleitoral. Acho que os resultados acalmaram um pouco, isso facilitou. Não interferiu no nosso trabalho - comentou o técnico Zé Ricardo em sua última entrevista coletiva sobre possíveis influências dentro de campo no processo político do Vasco.

Estas indefinições também atingem as questões de negociação por renovação de contrato e nomes para a barca. Até 16 de janeiro de 2018, Eurico Miranda ainda comandará a equipe - período o qual o atual mandato chegará ao fim. Conseguindo a classificação para a Conmebol Libertadores ou não via estas últimas duas rodadas do Campeonato Brasileiro, cenários podem se amenizar, mas a certeza possível neste momento é que o planejamento não terá mais problemas somente quando a polêmica acabar e o presidente do próximo triênio assumir.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos