Topo

Esporte


Dracena pede calma com Roger e diz que Valentim fez time lutar pelo título

24/11/2017 12h55

Edu Dracena, que era um dos defensores da efetivação de Alberto Valentim para 2018, fez novos elogios ao interino em entrevista coletiva nesta sexta-feira. Ele também pediu que a diretoria tenha paciência com Roger Machado, técnico escolhido para comandar o Palmeiras a partir de janeiro.

- Eu acredito que a gente só chegou nessa reta final brigando pelo título por causa do Alberto. Conseguimos três vitórias seguidas, encostamos no líder e teríamos o confronto direto. Infelizmente nesse jogo a gente não foi como gostaria - disse o zagueiro, antes de elogiar Roger:

- O Roger está querendo mostrar seu potencial, está com fome de dar certo. Infelizmente o trabalho dele foi interrompido com pouco tempo no Atlético-MG. A gente espera que ele tenha tranquilidade, que as pessoas possam ter paciência e acreditem no trabalho. Não pode ter imediatismo de querer resultado logo.

Valentim dirigiu o Palmeiras nas últimas nove partidas, com cinco vitórias, um empate e três derrotas. O técnico da equipe nas primeiras 27 rodadas do Brasileirão foi Cuca, que despediu-se com 13 vitórias, cinco empates e nove derrotas na competição. O Verdão estava em quinto lugar quando o demitiu, duas posições abaixo da atual.

- Eu fui gandula do Alberto na época do Guarani. Ele já estava no profissional e eu ficava de gandula nos jogos. Quando o reencontrei aqui, já conhecia. A maior qualidade dele é saber escutar, saber, de repente, reconhecer um erro, e tratar todo mundo da mesma forma. Se a gente fosse sempre assim, poderia estar melhor não só no futebol, mas na vida cotidiana. A gente vê tanta violência, tanta coisa... Às vezes o cara faz coisas erradas por trás e você acaba sabendo depois. O Alberto joga limpo, e jogador gosta disso - continuou Edu.

O amplo apoio do elenco e a melhora do ambiente em relação à época de Cuca não convenceram a diretoria a efetivar o interino, que recebeu na última terça-feira um convite para seguir no clube em 2018, mas como auxiliar. Um dos pontos mais contestados do trabalho dele é a defesa, que joga em linha alta:

- Essas linhas do Alberto, como ele fala, não são linhas altas. Mas, sim, todos os jogadores com função de marcação. Você encurta o espaço do adversário, e quando acontece o lançamento os quatro de trás têm de estar bem organizados. Foi o que o Alberto tentou passar, foi muito benéfico para nós, e acredito que o Roger vá seguir essa linha - defendeu Dracena, que ainda não sabe se o amigo aceitará a proposta para seguir como auxiliar.

- Para o Roger seria o ideal o Alberto estar aqui, para passar as características dos jogadores, o dia a dia. A adaptação seria mais fácil. A gente não sabe o que vai acontecer. Perguntei para ele se vai ficar e ele disse que está focado nesses dois jogos finais do Brasileiro.

O Palmeiras enfrenta o Botafogo, segunda-feira, no Allianz Parque, e encerra sua temporada contra o Atlético-PR, no dia 3, em Curitiba. Dracena voltará à equipe após ser desfalque contra o Avaí devido a uma pancada no joelho.

Mais Esporte