Eurico ataca Brant, imprensa e oposição e crava: 'Justiça prevaleceu'

A eleição do Vasco segue movimentando membros de situação e oposição. Após decisão na noite da última quinta-feira da desembargadora Marcia Ferreira Alvarenga, da 17ª Câmara Cívil do Rio de Janeiro, suspendendo a liminar proferida na semana passada da juíza Maria Cecília Pinto Gonçalves, da 52ª Vara Cívil do Rio, que desconsiderava os efeitos dos votos da urna 7 na polêmica eleição do Vasco no último dia 7, o atual presidente Eurico Miranda conversou com jornalistas na tarde desta sexta-feira e ressaltou que "a Justiça prevaleceu". Ele atacou a imprensa, Julio Brant e oposição.

- Eu nem viria falar sobre esse assunto, mas o que eu vejo é que o interesse da mídia, sem generalizar, não é para dar as notícias, mas para dar as notícias que sejam a favor de alguém. Por essa razão é que estou aqui. A mídia não comenta hoje como comentou quando teve uma liminar que modificou o resultado da eleição. Agora, quando se restabelece o resultado, não vejo a repercussão dessa forma, vejo de outra maneira - afirmou para completar:

- Não vejo hoje aqui alguns jornalistas que são os mais interessados em procurar noticiar o assunto, levando para o lado de que a eleição foi fraudulenta. Gostaria de dizer que o Vasco segue no seu curso normal, a Justiça prevaleceu. Foi restabelecido o curso normal, o que tira a preocupação de muita gente. Infelizmente, esse tipo de coisa só prejudica o Vasco. É algo que é feito no sentido de atrapalhar que a gente alcance os nossos objetivos, mas nós continuamos no nosso ritmo. No futebol, especificamente, o nosso objetivo continua o mesmo e vamos atrás de concretizá-lo.

Ao falar sobre Julio Brant e a oposição em si, Eurico Miranda destacou dois pontos. Segundo o atual presidente do Vasco, o advogado Alan Belaciano, da chapa Sempre Vasco Livre, forjou depoimentos de sócios da urna 7 denunciando fraudes no processo eleitoral - o LANCE! entrevistou dois sócios que votaram na urna 7 e denunciaram o esquema de aliciamento que sofreram com as fraudes. A Brant, afirmou que quer assumir o poder a todo custo e ainda se pronunciou sobre o pedido de impugnação feito com base de estatuto em sua chapa protocolado pelo grupo de Fernando Horta. De acordo com Eurico, o prazo se esgotou estatutariamente para pedidos de impugnação. O LANCE! procurou os citados por Eurico, mas ainda não obteve retorno.

- Quem perder irá recorrer e as coisas não terminam na primeira instância. Perde objeto não sei, mas pode ter recurso. Quero falar como se desenvolveu algumas coisas. Ningué teve interesse em saber como é que se forjou o depoimento de algumas pessoas, que foram dizer isso ou aquilo. Ficou muito claro e já está comprovado que isso foi forjada por essa chapa de oposição. O elemento principal que levou ao acontecimento disso tudo é um indivíduo chamado Alan Belaciano. Ele é que levou as pessoas a fazerem os depoimentos. Enquanto teve essa movimentação, tiveram outros 50 sócios votantes que prestaram depoimentos de sócios votantes que se sentiram prejudicados por todo esse processo - disse e completou:

- Sem dúvidas vão aparecer mais de 200. Isso já está nos autos. Não sei de quem esse indivíduo é advogado, apenas que é um advogado contra o Vasco. Isso vai ficar público. Já disse que ele induziu as pessoas a fazeram esse tipo de coisa. Mas tudo isso será devidamente revelado. Isso é tudo um negócio preparado e de comum acordo com alguns setores da mídia que tem interesse em levar esse assunto de uma forma. A nota diz que a Justiça prevaleceu e a verdade prevalecerá, com certeza. Sobre o pedido de impugnação, estatuto é claro. Se você quer impugnar e você tem um prazo. Se não for no prazo... Tenho certeza que o presidente da Assembleia já negou.

Com a decisão da desembargadora, a chapa de Eurico Miranda (Reconstruindo o Vasco) voltou a vencer. Julio Brant (Sempre Vasco Livre) passou de novo para a segunda colocação. Vale destacar que a decisão revogou apenas a liminar do pedido de Brant que tinha desconsiderado a urna 7, não tendo efeito na ação inicial. A desembargadora reafirmou também que "há sérios indícios de prática de irregularidades e fraudes na filiação de novos associados entre novembro e dezembro de 2015", mas espera pela perícia nos 475 votos realizados para poder tomar uma decisão final sobre o destino da urna 7. O resultado final, inclusive, segue sub judice pela decisão da desembargadora até este ponto.

Considerando a urna 7 na apuração do resultado, quando a diferença do primeiro para o segundo da urna girou os 90%, Eurico Miranda passa a ter a vitória do pleito com 2111 votos, enquanto Julio Brant passaria a ter 1975 votos. sem a urna 7, Julio Brant com a chapa "Sempre Vasco Livre" fica como o vencedor da eleição do Conselho Deliberativo com 1935 votos. Eurico Miranda, da chapa "Reconstruindo o Vasco", ficaria em segundo lugar com 1683. O caso na Justiça não deve ter uma decisão final este ano, até por conta da possibilidade de recursos em instâncias superiores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos