Integrantes de organizadas cariocas são presos; dirigente é levado a depor

A manhã começou agitada para os clubes do Rio. Líderes de torcidas organizadas foram presos numa ação de policiais da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática, em conjunto com o Ministério Público e com o Juizado Especial do Torcedor. Também foram cumpridos mandados de condução coercitiva contra dirigentes dos clubes.

Manuel de Oliveira Menezes, presidente da Young Flu, Luiz Carlos Torres Júnior, o Fila, vice-presidente da Young Flu, e Ricardo Alexandre Alves, o Pará, presidente da Força Flu foram presos. Carlos Roberto de Almeida, da Fiel Tricolor, não foi encontrado e é considerado foragido.

Alesson Galvão de Souza, presidente da Raça Fla, e Felipe Ferraz de Souza, o Fil, presidente interino da Fúria Jovem do Botafogo, foram levados a prestar depoimento. Os investigadores identificaram relações promíscuas entre clubes e torcidas, algumas até banidas pela Justiça. Porém, alguns líderes de organizadas recebiam ingressos e repassavam para cambistas.

O vice-presidente de Estádios do Glorioso, Anderson Simões, foi um dos alvos de condução coercitiva. A casa dele foi alvo de busca e apreensão. Estão sendo cumpridos mandados de prisão, e de busca e apreensão no Estádio Nilton Santos, em São Januário, no Maracanã e nas Laranjeiras.

O presidente Pedro Abad, do Fluminense, foi outro alvo de condução coercitiva e é aguardado na Cidade da Polícia, na Zona Norte do Rio de Janeiro, para prestar seu depoimento. O mandatário já está a caminho.

Eurico Brandão, vice de futebol do Vasco e filho do presidente Eurico Miranda, também é esperado pela polícia para prestar esclarecimentos nesta sexta.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos