Rebaixamento do Corinthians completa dez anos com reviravolta

  • Ricardo Nogueira/Folhapress

    Torcedores do Corinthians acompanham o empate com o Grêmio por 1 a 1 no estádio Olímpico, em Porto Alegre, que terminou no rebaixamento da equipe para a Série B, em 2007

    Torcedores do Corinthians acompanham o empate com o Grêmio por 1 a 1 no estádio Olímpico, em Porto Alegre, que terminou no rebaixamento da equipe para a Série B, em 2007

O dia 2 de dezembro poderia ser apagado da memória do torcedor do Corinthians. Há exatos dez anos, o clube viveu o pior momento de sua história ao ser rebaixado no Campeonato Brasileiro. A queda veio com o empate por 1 a 1 com o Grêmio no antigo Estádio Olímpico, em Porto Alegre. Foi um momento de muita dor para o corintiano, que viu um histórico de erros e escândalos culminar no fundo do poço.

Com o empate, o Corinthians terminou a competição na 16ª colocação com 44 pontos, um a menos do que o Goiás. o primeiro fora da degola. Ou seja, teria escapado caso triunfasse contra os gremistas, sem muitas pretensões no campeonato. O gol do criticado atacante Clodoaldo, porém, não foi suficiente. Deu apenas uma pequena esperança ao sofrido torcedor corintiano.

Clodoaldo marcou aos 30 do primeiro tempo, empatando a partida, já que o Grêmio abrira o placar logo aos dois minutos com o atacante Jonas, atualmente no Benfica. Portanto, foram pelo menos 60 minutos de bola rolando para que o Timão evitasse a tragédia. Não foi possível. Depois do apito final, o que se viu no Olímpico foi o choro dos alvinegros que se aventuraram a acompanhar o histórico jogo, esperançosos da salvação.

Uma década depois, no entanto, o Timão deu a volta por cima e hoje relembra a data cercado de alegria glória. Desde seu único rebaixamento, cujo sofrimento foi agravado pelo fato de o rival São Paulo ter conquistado o Brasileiro daquele ano, o Corinthians não parou de conquistar títulos. Foram 11, mais de um por temporada. No período, o Timão exorcizou o fantasma da Libertadores, a taça mais aguardada de sua história e papou o bi mundial ao derrotar o Chelsea (ING) em final no Japão.

Virou campeão do mundo sob o comando de Tite.

Ricardo Nogueira/Folhapress
16.dez.2012 - Tite abre faixa com a frase "The Favela is Here" (A favela está aqui, em tradução livre) logo após o Corinthians conquistar o Mundial de Clubes com a vitória por 1 a 0 sobre o Chelsea

A reconstrução foi iniciada em 2008 com o título da Série B, já sob o comando de Mano Menezes, que treinava o Grêmio no jogo da queda, mas ganhou força no ano seguinte com a chegada do astro Ronaldo Fenômeno. A contratação do ex-atacante, fora de forma e de atividade, foi a principal aposta do então presidente Andrés Sanchez, que assumira pouco antes da confirmação do rebaixamento.

Com a presença de Ronaldo, Andrés capitalizou parceiros, resgatou credibilidade sobre a imagem do Corinthians e passou a explorá-la de forma comercialmente muito rentável. O resultado foram o crescimento substancial da marca e títulos. Com o Fenômeno, foram dois: Paulista e Copa do Brasil em 2009. Ele se aposentou no clube no início de 2011.

A reação do Corinthians, comandada pelo grupo de Andrés, passou pela melhora das estruturas do clube. Em setembro de 2010, foi inaugurado o CT Joaquim Grava, moderno complexo erguido no antigo Parque Ecológico. A estrutura de primeiro mundo substituiu uma precária, motivo de fortes críticas até de Ronaldo. Para se ter uma ideia, o ex-atacante, consagrado mundialmente, se recusou a tomar um banho no antigo CT por conta da acomodação crítica e preferiu voltar para casa com seu próprio carro assim que o treinou acabou. A obra custou cerca de R$ 30 milhões.

Já em 2014, ficou pronta a Arena Corinthians. O Timão, enfim, tinha uma casa para chamar de sua. A inauguração foi na abertura da Copa do Mundo, na vitória do Brasil por 3 a 1 sobre a Croácia. Desde então, o palco virou uma arma poderosa para o Alvinegro, que este ano ergueu duas taças em sua casa: o Paulista e o Brasileiro, o terceiro desde o rebaixamento em 2007.

Para 2018, haverá eleições presidenciais e o favorito é novamente Andrés Sanchez, o presidente do rebaixamento e da reconstrução do clube. Ele tem o conselheiro Antonio Roque Cittadini como principal opositor, além dos pré-candidatos Romeu Tumar Júnior e Felipe Ezabella.

FICHA TÉCNICA

GRÊMIO 1X1 CORINTHIANS

Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre

Árbitro: Alício Pena Júnior (Fifa-MG)

Auxiliares: Aristeu Tavares (Fifa-RJ) e Alessandro Rocha (Fifa-BA)

Cartões amarelos: Jonas, Tcheco (Grêmio); Clodoaldo, Zelão, Betão (Corinthians)

Cartão vermelho: Héverton (Corinthians)

Gols: Jonas, aos 2'/1ºT (1-0), Clodoaldo, aos 30'/1ºT (1-1)

GRÊMIO

Marcelo Grohe; Patrício, William, Léo e Bustos (Anderson Pico); William Magrão, Diego Souza, Ramón (Sandro Goiano), Tcheco (Tuta); Jonas e Marcel

Técnico: Mano Menezes

CORINTHIANS

Felipe; Fábio Ferreira, Zelão e Betão; Carlos Alberto, Bruno Octávio (Arce), Moradei, Vampeta (Héverton), e Éverton Ribeiro (Aílton); Lulinha e Clodoaldo

Técnico: Nelsinho Baptista

TÍTULOS PÓS-REBAIXAMENTO

2008

Série B

2009

Paulista

Copa do Brasil

2011

Brasileiro

2012

Libertadores

Mundial

2013

Recopa Sul-Americana

Paulista

2015

Brasileiro

2017

Paulista

Brasileiro

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos