Secretário geral do Timão paga para regularizar sócios em troca de votos

O secretário geral do Corinthians, Antônio Jorge Rachid Júnior, prometeu regularizar sócios que estejam inadimplentes em trocas de votos na eleição do clube, que acontecerá dia 3 de fevereiro. Enviado a um grupo de WhatsApp, o áudio foi divulgado na noite deste domingo pelo site do Globo Esporte.

Rachid afirmou que falava em nome de Paulo Garcia, que ainda não lançou sua candidatura a presidente, mas admitiu ter feito pagamentos. O secretário geral também alega que é uma estratégia por conta da campanha do Corinthians que permite que qualquer sócio inadimplente tenha 50% de desconto na taxa de reativação do título pagando já a mensalidade de janeiro - porém, o estatudo proíbe qualquer anistia financeira a partir de 12 meses antes da eleição. No áudio, Rachid se refere a isso como "regra do jogo".

- Bom dia, amigos, fiéis escudeiros. Vocês todos já devem saber que a diretoria lá mudou a regra do jogo, né? Na última hora. Então é o seguinte: se algum de vocês, na relação de votos tem alguns inadimplentes, que com certeza votarão na nossa chapa, eu vou ficar no clube lá até mais ou menos umas duas horas. Deve terminar lá pelas quatro, não sei, para tentar colocar alguém em dia. Quem achar que isso vale a pena. Mas com certeza de voto, né? Porque não vão pagar para os outros votar (sic) em inimigo, não é verdade? Então, quem achar que dá, que vale a pena, vai me passando WhatsApp. Eu vou fazer o possível para colocar o maior número. Um abraço para vocês todos, bom domingo - diz Rachid, que também é sócio vitalício do clube.

Ao site do Globo Esporte, Paulo Garcia confirmou a autorização para Rachid buscar sócios inadimplentes. Ele ainda admitiu que fez pagamentos neste fim de semana.

- Para mim não tem negócio de esconder isso ou aquilo. Na sexta-feira (o clube) baixou um decreto para derrubar pela metade o valor das mensalidades. Realmente isso é muito difícil de a gente aceitar. Meu pai, quando foi candidato, ficou 10 anos brigando na Justiça. Segundo o Rachid, eles (grupo da situação) já haviam fechado mais de 700 sócios. Você vai entrar numa eleição com quase de mil sócios de desvantagem? Então eu autorizei. Mas em dois dias não se consegue nada. Você tem que jogar o jogo desses caras, senão eles não saem do poder. Eu ainda não lancei candidatura, estou esperando saírem as regras... Para fazer papel de bobo não dá - disse Garcia.

Em relação aos outros grupos políticos, Romeu Tuma Júnior disse que presenciou pagamentos e que protocolará um requerimento para que os sócios que reativaram seus títulos não tenham direito a voto. Já o grupo "Corinthians Grande" pedirá para que os sócios regularizados neste fim de semana não tenham direito a voto.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos