Ancelotti revela convite para treinar a Itália e diz por que rejeitou

  • ROBERT MICHAEL/AFP

Um dos principais nomes do futebol italiano, Carlo Ancelotti não tem em mente comandar a seleção de seu país. Em entrevista ao "La Domenica Sportiva", o técnico revelou o principal motivo de ter rejeitado o convite da Federação Italiana de Futebol (FIGC): quer seguir treinando clubes.

"É verdade, a federação entrou em contato comigo. Estou lisonjeado de que todos os italianos me desejem, mas gostaria de continuar treinando um clube. Aceitar uma seleção seria como mudar de emprego. Além disso, não consigo resolver os problemas do futebol italiano sozinhos. Treinar uma seleção é o sonho de qualquer um, mas talvez eu seja muito novo. (Antonio) Conte treinou e voltou para clube", disse.

"Até 30 de junho, estarei parado. Falaram de mim na Itália, em Milão, Croácia e até mesmo na Arábia Saudita. Mas eu gostaria de voltar a treinar na Itália. Há muita competitividade lá", completou o treinador de 58 anos.

Carlo Ancelotti, que tem gigantes no currículo como Juventus, Milan, Chelsea, Paris Saint-Germain e Real Madrid, está sem emprego desde setembro deste ando, quando foi demitido pelo Bayern de Munique, onde estava desde a temporada 2016/17 após substituir Pep Guadiola.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos