Emoção com vídeo e adeus perfeito: como Lugano foi para seu último jogo

No sábado, véspera de seu último jogo pelo São Paulo, Lugano participou do treino e atendeu torcedores que estiveram no CT da Barra Funda, ouvindo palavras de admiração e agradecimento. Mais tarde, na concentração, escutou mensagens ainda mais fortes de companheiros e funcionários do clube. E, embora ele negue o choro, há quem garanta que ele se emocionou.

- Fiquei o dia inteiro com ele, observando reações. Fizemos um vídeo, e ele se emocionou. Falei: "você nunca chora". Ele disse que não percebemos o que ele está sentido, mas que é a pessoa mais feliz do mundo - relatou Petros, sorrindo, citando o vídeo preparado pelos colegas para o uruguaio chamado de Dios.

- No vídeo, cada jogador disse: se a torcida do São Paulo soubesse o que o Lugano é como pessoa, podem ter certeza que o idolatraria ainda mais. É um cara grande como caráter, como pessoa, como símbolo e como o que representa para nós, dentro de campo e no dia a dia. É um cara que valorizamos muito - comentou Rodrigo Caio.

Lugano já tinha mostrado surpresa com publicações em redes sociais dos atletas pedindo sua renovação, em junho. Nesse sábado, ficou comovido com mais palavras de carinho e resumiu a Petros o motivo de ter preferido viver esse momento agora no clube, brigando contra o rebaixamento, do que quando conquistou títulos paulista, brasileiro, da Libertadores e Mundial em sua primeira passagem pelo São Paulo.

- Ele me disse: "Jamais trocaria minha despedida, preferi me despedir assim porque, quando São Paulo mais precisou, contribuí. Se eu pudesse escolher, escolheria exatamente este momento". Quem fala isso é dingo de respeito, carinho, é uma pessoa espetacular - contou o volante, que nem estava no Tricolor ainda quando o uruguaio recebeu uma homenagem, ainda em janeiro, nos EUA, levantando o troféu da Florida Cup.

- Um momento que ficou marcado neste ano foi a conquista da Florida Cup. Por mais simbólico que tenha sido, naquele momento a gente fez com que ele pegasse o troféu e levantasse. Ele precisava disso. Ele merecia isso. Ficou um momento de alegria e muita felicidade não só dele, mas de todos nós, por vê-lo levantando um troféu. Ficamos muito felizes porque fizemos parte da história dele. Eu, ainda mais, por ter jogado e compartilhado momentos maravilhosos com ele - lembrou Rodrigo Caio.

- Todos sabem o que ele representa como jogador para o São Paulo e o futebol brasileiro e mundial. É um cara de três Copas do Mundo, não tem o que falar muito do jogador. Temos de falar da pessoa, e falar do Lugano fica fácil. É extremamente correto, de caráter excepcional. Isso é o mais bonito. É o legado que ele deixa para o São Paulo e para todos os jogadores que estão aqui. Mesmo não jogando, sempre esteve conosco, dando uma palavra a mais, não só para os mais novos, mas, também, para os mais experientes, porque nesse momento a gente precisava - prosseguiu o zagueiro.

Fica a expectativa a respeito da decisão de Lugano, que não sabe ainda se vai se aposentar. A diretoria já o procurou para fazer parte da comissão técnica ou ocupar algum cargo diretivo, permanecendo no clube, mesmo fora de campo. E tudo que os colegas pedem é para que o uruguaio, aos 37 anos, aceita a proposta.

- Ele ama o São Paulo em primeiro lugar, e não aceita que as pessoas aqui façam corpo mole, não se entreguem 100%. Cobra muito. É um cara que poderia ajudar muito no ano que vem pela maneira de pensar. Apesar do temperamento forte, é uma das pessoas mais inteligentes que conheci no futebol. Vai agregar muito ao clube. Espero que fique - disse Petros.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos