Time centenário que jogou Paulistão-2014 hoje busca jogadores na várzea

  • Reprodução

Clube com 106 anos de história e um dos mais tradicionais do interior de São Paulo, o Comercial Futebol Clube, de Ribeirão Preto, tomará uma medida inusitada para montar o elenco rumo à próxima temporada. Hoje na quarta divisão do futebol paulista e sufocado financeiramente, o Leão do Norte fará uma peneira para buscar talentos escondidos na várzea ou sem emprego. Quem passar no teste, vira jogador profissional e disputa o campeonato estadual. Não precisa sequer ter feito categoria de base. Simples assim.

O Comercial vive queda vertiginosa. Em 2014, o clube estava na elite do Paulistão, mas foi rebaixado. No ano seguinte, caiu da segunda para a terceira. Jogou a terceirona em 2016, sem subir, e agora em 2017 conseguiu a "façanha" de cair para a quarta divisão. Com dívidas avaliadas em torno de R$ 6 milhões, o clube trocou de presidente e diretoria em outubro. A quarta divisão começará apenas em maio, porém o primeiro treino de preparação já está marcado para 16 de janeiro. Hoje, há apenas seis atletas apalavrados com o clube para 2018.

Sem condições de fazer grandes investimentos e correndo contra o tempo, restou ao Comercial usar a criatividade e pensar na peneira. O clube colocou as inscrições gratuitas, com pré-requisitos simples. Os interessados deveriam ter até 23 anos (limite permitido na quarta divisão paulista) e levar atestado médico. Em poucos dias, todas as vagas foram preenchidas - as inscrições terminaram na última terça-feira. Em conversa com o LANCE!, o técnico do Comercial, Pinho, de 72 anos, mostrou-se esperançoso em achar revelações.

"Todo mundo começou a falar que na cidade tem bons jogadores, que têm atletas jogando em outras cidades, mas eles que não passam pelo Comercial. Então resolvemos fazer essa avaliação, e foram mais de 40 inscritos. A gente espera pegar alguém, pelo menos. Um, dois, três, quatro, cinco... Quanto mais jogador com qualidade aparecer, melhor. Estamos com a esperança de pegar alguns jogadores. Como a gente está esperando também pegar peças do time que vai disputar a Copa São Paulo. Isso aí vai barateando a folha de pagamento", comentou Pinho, detalhando como será a peneira - ou melhor, avaliação:

"Peneira era antigamente, é um nome esquisito, até chato. Então é avaliação, uma oportunidade desses jogadores mostrarem serviço. Os inscritos vão se enfrentar, cada um na sua posição, nos dias 12 e 14 deste mês, no campo da Fazenda Santa Maria. Eu estarei avaliando tudo, juntamente com alguns diretores e amigos que convidei. Quem passar destes dois dias fará, no dia 19, um jogo contra o time que vai disputar a Copa São Paulo. Os aprovados neste teste final vão se apresentar no dia 16 de janeiro e continuar os treinamentos".

E o salário? A realidade na quarta divisão não é de quantias volumosas...

"Nessa divisão, eu duvido que tenha algum clube que vá pagar mais que R$ 1500 para jogador. A maioria ganha um pouquinho mais que um salário (mínimo). Essa é a realidade da quarta divisão", disse Pinho.

Pinho é o técnico de mais idade à frente de um clube profissional no estado de São Paulo. O olhar clínico de quem tem experiência de sobra já revelou diversos nomes para o futebol. Borges, ex-São Paulo e Santos, é um deles.

"Foram tantos jogadores (revelados), é difícil lembrar... De maior expressão foi o Borges. Ele jogava na Inter de Bebedouro, em 2002, e o levei para a Jataiense (GO), em 2003. Lá ele fez um excelente campeonato, estourou, foi para o São Caetano e depois para diversos grandes clubes. Tenho bastante tempo de futebol. São 55 anos de futebol, somando o período como jogador e treinador. Sou técnico desde 1979. Hoje sou o mais experiente. Velho eu não sou, porque falo que vou fazer 18 anos mês que vem (risos). Estou com disposição. Não sei quando até quando vai isso tudo, mas hoje me sinto muito bem para trabalhar", destacou o treinador, que chegou ao Comercial em outubro para a sua terceira passagem pelo clube (as outras foram em 2003 e 2006).

Pinho é o "Rei dos Acessos" na quarta divisão paulista. Ele já conseguiu seis promoções naquela que é a última divisão do estado. Profundo conhecedor da disputa, ele espera dificuldades para o Comercial e não promete o acesso:

"É a divisão mais difícil que tem. Subir da terceira para segunda é fácil, da segunda para a primeira é fácil, quero ver subir dessa divisão, porque é muito complicado. Serão 30 times e só vão subir dois, o que é um absurdo. E os times são todos iguais, parece um caminhão de melancia. Os 30 têm os mesmos problemas financeiros, de viagens... A gente vai tentar fazer de tudo para subir, mas será muito difícil. Não adianta Ribeirão Preto ter 1 milhão de habitantes, o Comercial ser tradicional, ser o Leão do Norte. Isso aí já não vale mais nada".

Antes de se deteriorar financeiramente, o Comercial chegou a ter momentos de brilho nesta década. Em 2011, o clube foi finalista da Copa Paulista, perdendo a decisão para o Paulista. Seu ícone neste período foi o goleiro Alex Muralha, hoje em baixa no Flamengo. Ele vestiu a camisa do Leão do Norte de 2011 a 2013 e virou ídolo - inclusive, defendendo quatro pênaltis no Paulistão-2012 e ganhando uma bandeira da torcida, que era exposta durante os jogos.

Em 2015, já em decadência, o Comercial apareceu após ação de marketing do Twitter que levou o camaronês Samuel Eto'o a jogar 40 minutos pelo clube em um amistoso contra o rival Botafogo-SP. Neste dia, Eto'o balançou a rede pelo Comercial e atuou os outros 50 minutos do duelo pelo Bota, fazendo dois gols.

A participação na quarta divisão, inédita na história do Comercial, será a mais baixa divisão disputada pelo clube em mais de um século. Pinho lamenta.

"Fico chateado de ver o Comercial nessa última divisão, e com todos os problemas que todo time do interior passa hoje. Não é só o Comercial, é todo mundo. Se não tiver uma reviravolta, uma mudança de calendário, a tendência é o futebol do interior ir se acabando. O calendário tem brechas, deixa jogadores desempregados. A segunda e a terceira divisão duram apenas três meses. A quarta divisão é um pouco maior, vai de maio a setembro, mas requer sacrifício de uma diretoria em bancar um clube nessa divisão. Estou aqui há 40 dias, o salário está em dia, mas há muito para se fazer. Estamos reestruturando o Comercial. Reformas de vestiário, gramado, cozinha... Tudo estava tudo estragado. É com muita tristeza que vejo o Comercial na quarta divisão".

 

 

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos