Ninguém segura! City supera United no Old Trafford e encaminha título

Com os badalados Pep Guardiola e José Mourinho à beira do gramado no Old Trafford, o dérbi de Manchester terminou com uma eloquente vitória do City sobre o United por 2 a 1, com gols de David Silva e Otamendi. Rashford fez para os Red Devils, que viram Ederson brilhar nos minutos finais. O clássico foi válido pela 16ª rodada do Campeonato Inglês, liderado com folga pela trupe de Pep.

A vantagem na ponta, agora, passa a ser de 11 pontos justamente para o Manchester United, vice-líder. Se o jogo tinha peso de decisão, ao menos para o lado azul, um largo passo foi dado rumo ao título da Premier League.

O JOGO

Nem mesmo a neve no Old Trafford esfriou os ânimos dos dois times, que adotaram posturas distintas. O time da casa apenas se defendia e abdicava de ir ao ataque. Já os visitantes, que tiveram Gabriel Jesus entre os titulares enquanto Agüero esquentava o banco, envolveram os rivais em busca do gol.

Jesus, aliás, foi protagonista de uma bela jogada, com tempero brasileiro, já que foi iniciada com Fernandinho e terminou com pedalada do camisa 33 e finalização de canhota. De Gea encaixou com facilidade. Minutos depois, o goleiro espanhol foi obrigado a fazer a primeira defesa da partida, em tiro à queima roupa de Sané. No lance seguinte, um escanteio, David Silva, no melhor estilo centroavante, transformara a supremacia em bola na rede: 1 a 0.

A partir daí, a expectativa ficou por conta da postura dos Red Devils. E a resposta, positiva, veio logo três minutos depois, já nos acréscimos da primeira etapa. Rashford esbanjou frieza ao aproveitar um presente de Natal antecipado de Delph (lateral-esquerdo improvisado). Tudo igual para o intervalo.

Para a etapa complementar, as equipes tiveram que mexer forçadamente - ambas por lesão. Entraram Lindelof e Gundogan, que obrigou Fernandinho a atuar como zagueiro. E por falar em zagueiro, foi de um que surgiu o terceiro gol do clássico. Após bola mal rebatida de Lukaku, Otamendi estufou a rede.

Em seguida, Pep Guardiola não esperou para saber a reação do United. Optou por tirar Gabriel Jesus e promover a entrada de Mangala, atuando, assim, sem referência no ataque. E se faltou centroavante de um lado, do outro, José Mourinho fez com que Lukaku e Ibrahimovic, que saiu do banco, atuassem cerca de 20 minutos juntos, cujo período foi marcado pela grande chance do Manchester United na partida, em que Lukaku e Juan Mata tentaram, mas pararam em Ederson, que promoveu dois milagres (sendo um com o rosto).

Ederson, certamente, se inspirou em De Gea, que, sobretudo ao longo da segunda etapa, evitou que a derrota se desse por um placar mais amplo. Vitória maiúscula do Manchester City no Teatro dos Sonhos, tornando a chance da quarta taça do Inglês cada vez menos onírica.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos