Candidato no Corinthians, Andrés é denunciado por crime tributário

A Procuradora Geral da República (PGR) apresentou ao Supremo Tribunal Federal (STF) denúncia contra o deputado federal Andrés Sanchez (PT-SP), ex-presidente do Corinthians, pelo crime de sonegação fiscal. Na denúncia, publicada nesta segunda-feira no site do Ministério Público Federal, Andrés e mais três pessoas são acusados terem utilizado "laranjas" para criar uma empresa que não fazia repasses tributários à Receita Federal.

Além de Andrés Sanchez, candidato a presidente do Corinthians na eleição de fevereiro do ano que vem, José Sanches Oller, Isabel Sanches Oller e Itaiara Pasotti são apontados como criadores da empresa Orion Embalagens, utilizada para omitir os valores. Segundo a investigação, a operação causou prejuízo de R$ 8,5 milhões aos cofres públicos.

No texto em que está incluída a denúncia Andrés e o trio são acusados de omitirem receitas para diminuir o valor de impostos de diversos impostos, como PIS e Cofins. Vale lembrar que, em 2014, o deputado também foi denunciado pelo Ministério Público Federal com outros quatros dirigentes do Corinthians pelo crime de sonegação fiscal enquanto estava à frente do Corinthians. Na época, a dívida foi renegociada.

Andrés foi presidente do Corinthians de 2007 a 2012, no mesmo grupo que segue até hoje no poder, com o presidente Roberto de Andrade. Agora candidato, o dirigente disse que se licenciará do cargo de deputado federal caso vença a eleição do ano que vem.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos