Paredões do Vasco! João Pedro, alçado ao profissional, é inspiração na base

Os goleiros do Vasco estão de bem com a vida. Isso em todas as categorias de base. A formação tem sido valorizada e para 2018, João Pedro, camisa 1 do Sub-20 do Cruz-Maltino, será integrado ao profissional como terceiro goleiro. Em São Januário, ele é a grande inspiração de Victor Costa (sub-10), Gabriel Caldeira (sub-11) e João Lecce (sub-12). O quarteto se encontrou nesta semana e rendeu muita alegria.

- Foi um dia especial. Voltei no tempo e lembrei do que passei para chegar no Vasco. Quando tinha a idade deles, eu não jogava aqui, mas me dediquei para ser visto e hoje estou vivendo um momento incrível, algo que sempre quis viver. Disse para agarrarem a oportunidade de representar um grande clube, muitos gostariam de estar no Vasco. São moleques de talento e que terão um futuro brilhante pela frente se mantiverem o mesmo foco - afirmou João Pedro.

Os elogios de João Pedro para as jovens promessas não são em vão. Isso porque os três jovens arqueiros terminaram 2017 como melhores do Rio de Janeiro em suas respectivas categorias. Victor Costa, do sub-10, conquistou a "luva de ouro" no Festbolin e no Torneio Integração. Gabriel Caldeira, do sub-11, ganhou o mesmo prêmio na Copa Dente de Leite. João Lecce, por sua vez, levou esse título no Metropolitano sub-12.

"Um grande time começa por um grande goleiro"

O pré-mirim do Vasco está bem representado. Victor Costa e Gabriel Caldeira apresentaram desempenhos gigantes ao longo do ano nas metas das equipes sub-10 e sub-11, respectivamente. Mais conhecido como Alemão, Victor Costa defendia as cores do Marã em 2015 quando foi convidado para fazer um teste em São Januário e a aprovação e afirmação no clube vieram rapidamente.

- Nossa equipe ganhou muitos títulos nesse ano. Tivemos a defesa menos vazada em todos os campeonatos. Foi um ano excelente para nós. Eu trabalhei forte e aprendi um monte de coisa, me tornei um goleiro melhor. Vou continuar treinando muito para realizar o meu sonho de chegar no profissional e também na Seleção Brasileira. O meu ídolo é o Martín Silva. Acho ele um excelente goleiro. E o Vasco é minha segunda casa, me sinto bem aqui - disse Victor.

Já a trajetória de Gabriel Caldeira começou três anos antes que a de "Alemão", em 2012. No início, apesar do desejo do pai ex-goleiro, o hoje titular do Sub-11 atuava na linha. Como não foi bem, acabou sendo colocado na meta, onde se firmou. O camisa 1 foi o heroi vascaíno na conquista da Copa Dente de Leite ao pegar três pênaltis na decisão com o Fluminense.

- Eu comecei jogando na linha em outro clube. Foi quando um amigo do meu pai me chamou para fazer teste no Vasco. Não consegui ir bem na linha e acabei virando goleiro. O meu pai era goleiro, então ele sempre conversou comigo para jogar nessa posiçao e seguir a carreira dele. Hoje estou feliz e gosto muito de agarrar. Foi um ano muito bom, com muitas conquistas. Agradeço a Deus por tudo - declarou Gabriel.

- O Vasco me proporcionou várias chances. Eu cheguei aqui como terceiro goleiro, mas trabalhei bastante, dei o meu melhor em todos os treinos, e hoje sou titular. Tenho muito que agradecer ao Vasco, por ter aberto as portas para mim, por estar acreditando e apostando em mim para o futuro. É a minha segunda casa. Chego aqui pela manhã para a escola e só vou para casa de noite, depois do futsal. Foi muito legal treinar com o profissional. Fiquei meio envergonhado no início, não conhecia eles, mas todos me receberam bem e depois me soltei. Uma experiência incrível - contou Lecce, do Sub-12.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos