Ex-vice de Andrés na eleição do Corinthians estuda convite da oposição

  • Divulgação

Retirada da chapa de Andrés Sanchez após ser anunciada como uma das vices do candidato da situação na eleição presidencial do Corinthians, a conselheira Maria de Lourdes Jacob Mattavo estuda convite para se juntar à uma das alas oposicionistas do clube. Ainda muito chateada com a situação, segundo ela fruto de uma decisão machista, a conselheira disse que não apoia mais a candidatura de Andrés, do grupo "Renovação e Transparência", no comando do clube desde 2007.

"Não faz mais sentido eu continuar. Da situação já deu. Eles me expuseram e depois descartaram. Eu fui convidada (pela oposição), mas não sei ainda. Num primeiro momento disse que não queria, mas hoje estou pensando. Jamais vou desistir do Corinthians", afirmou Maria de Lourdes, em entrevista ao LANCE!.

Maria de Lourdes ficou abalada com a notícia de que não faria mais parte da chapa de Andrés. Ao lado de Edna Murad Hadlik, ela foi anunciada como uma das vices por André Luiz Oliveira, vice-presidente do Corinthians e assessor do candidato a presidente. Posou para foto ao lado do deputado federal. Mas diz que, depois da saída, não recebeu mais nenhum contato nem de Andrés nem de André.

"Nenhum dos dois falou comigo, nada. Isso só mostra o quanto eu não significava nada para eles", diz.

Logo após ser comunicada da decisão na última quinta-feira, a conselheira enviou um texto para um grupo de conselheiros no WhatsApp lamentando o modo como as coisas foram conduzidas e acusando o processo de machista. Passou a receber manifestação de solidariedade de outras mulheres do clube. A diretora de futebol feminino Cristiano Gambare entrou em contato por telefone, assim como própria Edna, que segue como vice.

No clube, a ideia de machismo é compartilhada por outras mulheres. Uma das duas conselheiras vitalícias do Corinthians ao lado da ex-presidente Marlene Matheus, Miriam Aithe acha que Maria de Lourdes foi usada. Ela encabeça as mulheres que declararam apoio a Antonio Roque Citadini, um dos candidatos da oposição.

"A Maria de Lourdes foi usada. No sentido de comover a associada para dizer que o Corinthians teria uma vice mulher. E não haveria problema, já tivemos vices mulheres, como a Marlene Matheus. Temos mulheres. Mas acho que ela foi usada, porque o movimento do Citadini tem sido voltado para as mulheres, sócia e independente. E o grupo que está no poder nunca ligou para nós. O que se tem no clube hoje para mulheres? Absolutamente nada!", afirma.

Organizadora de um encontro que reuniu 160 mulheres que transitam no clube com Citadini, há duas semanas, a sócia Susy Miranda vai na mesma linha.

"As mulheres estão revoltadíssimas. Algumas do grupo do Andrés me ligaram para dizer isso. Essa já é a quarta eleição que estou participando e sempre prometem coisas, com panfleto, dizendo que farão um salão de beleza para a gente no clube. Mas das prioridades, tudo isso está em último lugar para o Andrés., Ele se elege e esquece da gente. E chega uma hora que a gente quer se rebelar", declarou.

Irmã de um dos fundadores da Gaviões da Fiel, maior organizada do Corinthians, a candidata ao Conselho pela chapinha Mais Corinthians diz que a decisão de tirar Maria de Lourdes da chapa feriu todas as mulheres.

"Nós todas os sentimos ofendidas. Foi uma ofensa muito grande da parte do candidato solicitar que ela participasse e depois descartar como objeto qualquer. Isso não se faz com uma mulher, com ninguém", afirma.

O ex-presidente Andrés Sanchez disse que houve uma pressão muito grande do seu grupo pela saída de Maria de Lourdes para justificar a decisão, mas garantiu que Edna seguirá como sua vice.

"Apresentarei o mundo do futebol a ela", afirmou o candidato, ao LANCE!.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos