Jesus fala sobre várzea, relação com a mãe e diz que Neymar uniu seleção olímpica

Aos 19 anos, Gabriel Jesus vai ganhando o mundo com a camisa da Seleção Brasileira e do Manchester City. Mas a vida nem sempre foi só sucesso. Em relato ao site "The Players Tribune", o atacante revelou detalhes de sua infância, a importância de sua mãe, Vera, na tragetória, além da relação com Neymar e a chegada à Inglaterra.

- Sempre que eu marco um gol pelo Manchester City, minha mãe liga para mim. Assim que a bola balança no fundo da rede, o telefone toca. Não importa se ela está em casa, no Brasil ou no estádio me assistindo jogar. Ela me liga todas as vezes. Então, eu corro até a bandeirinha do escanteio, coloco a mão no meu ouvido e digo: "Alô, Mãe" - contou Jesus, falando sobre a comemoração que faz.

Ele explica que Vera é a responsável por seu sucesso e diz que é uma forma de homenagea-la. Além disso, fala sobre sua trajetória, voltando aos tempos de várzea até se tornar um dos nomes mais cotados na lista de Tite para a disputa da Copa do Mundo de 2018. O camisa 33 dos Citzens ainda exaltou a postura de Neymar nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

- Apenas dois anos antes, eu estava nas ruas do Jardim Peri pintando as calçadas de verde e amarelo para a Copa do Mundo de 2014. Os caras da vizinhança que desenhavam muito bem fizeram grandes murais - com os rostos dos jogadores brasileiros, como David Luiz e Neymar - e nós estávamos ajudando a deixar tudo aquilo colorido - conta.

- Eu lembro que o peso daquele campeonato era muito grande - não apenas porque era no nosso país, mas pelo que aconteceu na última Copa do Mundo. Depois que nós não jogamos bem as duas primeiras partidas, a crítica ficou muito intensa, especialmente contra o Neymar. Eu realmente admiro o Neymar pelo modo como ele lidou com tudo isso e pela maneira que ele conseguiu liderar nosso time.

- Antes do campeonato, eu era apenas mais um fã do Neymar, como tantas outras pessoas. Ele é um jogador de futebol incrível, que todo muito conhece. Mas ter a chance de saber quem ele é de verdade durante esse período.foi especial, por causa do jeito dele. A forma que ele trata todo mundo me surpreendeu bastante - porque mesmo no curto período de tempo que eu vivi no futebol, eu vi tantos caras que nem são grandes jogadores, que não ganharam nada, serem mascarados. Mas o Neymar trata todo mundo como se fosse irmão dele. Ele foi a grande razão pela qual a gente foi capaz de se unir e ignorar a pressão e jogar um para o outro - completou.

Gabriel ainda falou sobre a diferença da vida na Inglaterra, e como o início foi solitário. Porém, afirmou que escolheu o Manchester City pela vontade de trabalhar com o técnico Pep Guardiola, que o ligou para dizer que contava com ele na equipe.

- Esta é minha primeira vez num país que é realmente muito frio e onde eu não falo a língua. É um desafio ser compreendido, e pode ser solitário nesse sentido. No entanto, quando Guardiola me ligou enquanto eu decidia para qual clube eu ia jogar, ele disse que estava contando comigo. Eu posso dizer que o Guardiola estava sendo verdadeiro - e no futebol isso significa muito - disse Jesus.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos