São Paulo terá caldeirão pela frente na estreia na Copa Sul-Americana

  • Juan Mabromata/AFP

    Gigante de Arroyito no jogo Rosario Central x Grêmio na Libertadores 2016

    Gigante de Arroyito no jogo Rosario Central x Grêmio na Libertadores 2016

O São Paulo terá um grande desafio pela frente na Copa Sul-Americana. Em busca do bicampeonato do torneio continental, o Tricolor estreia contra o Rosário Central, da Argentina. O clube hermano, embora não seja uma potência econômica como Boca Juniors e River Plate, é um dos mais tradicionais do país vizinho e dono de uma fanática torcida. O confronto de ida acontece no estádio Gigante de Arroyito, no dia 12 de abril.

A casa do Rosário é um caldeirão. O estádio possui capacidade para pouco mais de 41 mil pessoas e costuma ter casa cheia em competições internacionais. A pressão feita pela torcida é conhecida em toda a Argentina e os simpatizantes do Rosário se autodenominam como os maiores do interior, visto que a cidade de Rosário está a quase 300 km da capital Buenos Aires.

O próprio São Paulo já conhece a pressão de jogar no Gigante Arroyito. Pelas oitavas de final da Copa Libertadores de 2004, o Tricolor mediu forças com os argentinos no estádio e voltaram com uma derrota, por 1 a 0, na mala de viagem. Na semana seguinte, no entanto, o time demonstrou sua força, bateu a equipe argentina, por 2 a 1, e garantiu a vaga para a fase seguinte nos pênaltis, com grande atuação de Rogério Ceni

Nesta temporada, o clube não vive seu melhor momento, haja visto que ocupa a 22ª posição no Campeonato Argentino e tem um aproveitamento baixo de apenas de 39,4% dos pontos disputados. Em onze jogos, foram três vitórias.

A tendência, no entanto, é de que a equipe cresça de rendimento. Isto porque, os únicos três triunfos na competição nacional aconteceram nas últimas três rodadas do torneio. No elenco comandado por Leonardo Fernandez, o ex-palmeirense Tobio e o ex-corintiano Herrera são conhecidos dos brasileiros.

Embora não seja um clube modesto, o Rosário - tratado na mídia argentina - como o sexto clube do país em número de torcedores, está longe de ter a grandeza do São Paulo. A equipe, campeão da Copa Conmebol (percursora da Copa Sul-Americana) de 1995, ganhou seu último título do Campeonato Argentino em 1987.

Em termos de números, o valor de mercado do elenco tricolor gira em torno de R$ 222 milhões, enquanto os argentinos possuem valor estimado de R$ 114 milhões. Os dados são do site Tranfermarkt.com, especializado em estatísticas e valores do mercado do futebol.

A equipe do Morumbi terá a vantagem de decidir a classificação em casa (9/5), ao lado de seu torcedor. Nesta temporada, no entanto, o clube sofreu o revés para o modesto Defensa y Justicia, que estreava em competições internacionais. A lição foi aprendida e o São Paulo, agora, terá um outro argentino pela frente. Desta vez, no entanto, mais forte e tradicional.

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos