Presidente da Chapecoense espera cobrança maior em 2018

É incontestável que o ano de 2017 foi acima das expectativas para a Chapecoense. A empolgação do torcedor para 2018 é enorme. A classificação do Verdão do Oeste para a Libertadores exige que o elenco da Chape seja mais competitivo.

A base do time, que atuou ao longo do Brasileirão nesta temporada, foi mantida. O lateral-esquerdo Bruno Pacheco, que em 2017 se destacou no Atlético-GO, foi o primeiro a acertar contrato com o clube e se apresentará na primeira semana de janeiro.

O presidente Plínio David de Nês Filho, o Maninho, reconhece que as cobranças serão diferentes no clube, mas analisa que o estilo de administração tem que ser mantido.

- No ano que começa temos que comemorar porque mantivemos mais de 60% do grupo que estava, é um ponto importante. Vamos ter uma expectativa tão boa ou até maior que a última. A Chapecoense atingiu um nível e temos uma preocupação do trabalho continuar nessas condições. Planejamos um ano com dificuldades pela cobrança, mas podemos fazer um trabalho muito bom. Temos que deixar iniciar o Catarinense, a Libertadores, para termos uma projeção mais criteriosa da temporada - afirmou o mandatário.

Com foco na Libertadores, tendo como objetivo uma vaga de grupos, a Chapecoense também tem pela frente o campeonato estadual. A estreia é diante do Concórdia, dia 17 de janeiro, fora de casa.

- Sempre tratamos com muita clareza, temos que competir no Catarinense e chegar à final, o esforço será nesse sentido. Na Libertadores, pegaremos o time mais forte, mas não nos preocupa, são dois jogos. Vamos fazer o possível para vencer em uma competição que é difícil. Nosso objetivo é sempre vencer - destacou o dirigente.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos