Vasco estreia na Copinha em busca do título e de novos talentos para Zé

Comandado por Marcus Alexandre, o time sub-20 do Vasco estreia nesta terça-feira na Copa São Paulo de Futebol Júnior, contra o Juventus (SP), às 16h, no estádio municipal José Batista Pereira Fernandes, em Diadema (SP). Com um grupo reformulado, já que 10 jogadores que participaram do título carioca da categoria ano passado subiram em definitivo para os profissionais, os meninos da Colina buscam o título da competição e também mostrar serviço a Zé Ricardo, que disse que vai continuar aproveitando promessas da base este ano.

A aposta do Vasco em atletas da base deu muito certo em 2017. O clube foi o que mais usou jogadores formados em casa no último Brasileirão e os garotos foram decisivos participando de 22 gols dos 40 que o time no campeonato. A coroação do bom trabalho deles veio na última rodada, quando Paulinho e Mateus Vital marcaram na vitória por 2 a 1 contra a Ponte Preta, que garantiu o Cruz-Maltino na Libertadores. Por isso, é importante ficar de olho nesta nova safra que começa a temporada agora na Copinha.

Os destaques do Cruz-Maltino para a Copa São Paulo são o lateral-direito Rafael França, o zagueiro Ulisses, o meia Dudu e o meia-atacante Robinho, remanescentes do time titular que conquistou os títulos da Taça Guanabara, Taça Rio e Estadual em 2017.

Outros nomes importantes são do lateral-esquerdo Luan, que sempre entrava bem no ano passado, e Hugo Borges, que foi o principal artilheiro da base do clube em 2016 e 2015, mas quase não jogou na última temporada por conta de lesões. Ainda fora da forma física ideal, o atacante deve começar a competição no banco.

Marcus Alexandre acredita que alguns jogadores que vão disputar a Copinha serão promovidos para o elenco profissional este ano. Porém, ele ressaltou que é preciso ter calma com as promessas para não queimar etapas.

- A gente tem grandes promessas. Tenho certeza que ao longo da temporada vamos ter atletas participando do elenco profissional, quem sabe até com destaque. Mas a gente tem que ter bastante calma, é um grupo renovado. Vamos ter o ano inteiro para ter esses atletas chegando no profissional. A torcida vascaína pode ter certeza que são jogadores de qualidade, precisam de um pouquinho de calma na hora de serem aproveitados no time de cima. Tenho certeza que isso vai acontecer de forma gradativa e sem queimar etapas - comentou o treinador do sub-20.

TÉCNICO VÊ GRUPO DIFÍCIL

O Vasco está no Grupo 26 da Copa São Paulo de Futebol Júnior. Além do Juventus (SP), o Cruz-Maltino tem pela frente Espírito Santo (ES) e Água Santa (SP) como rivais nesta primeira fase. O técnico Marcus Alexandre fez uma análise dos adversários e considerou a chave uma das mais difíceis da competição.

- Eu achei um dos grupos mais difíceis, tem adversários bem tradicionais da Copa São Paulo. Juventus dispensa comentários, é um clube muito tradicional. Também tem o Água Santa que fez uma boa campanha na Copinha de 2017, e também no Estadual, em que conseguiu eliminar o Santos e São Paulo. O Espírito Santos é um dos grandes clubes reveladores do Brasil. Um time que muitos não conhecem o trabalho, mas eu particularmente conheço as pessoas que trabalham lá e sabe que o clube é um celeiro de revelar grandes atletas para o Brasil. É um estado onde o Vasco sempre teve grandes atletas formados, como Geovani e Carlos Germano - disse o treinador, destacando que o time precisa ter concentração.

- A gente sabe que vai ter trabalho, por isso considero o grupo do Vasco muito difícil. A gente precisa estar com muita atenção para não ser surpreendido pelos adversários - completou.

BATE-BOLA COM MARCUS ALEXANDRE

1) Como foi a preparação para a Copinha? Conseguiu ajustar o time como queria?

Com certeza! Mas nós treinadores temos aquela impressão de que ficou faltando algumas coisa. Porém, acredito que tivemos todo tempo necessário. Fizemos um planejamento para poder entrar na competição muito organizado e com o objetivo mais importante, que é representar o Vasco bem e como sempre é o clube, para disputar o título.

2) Quais as características do time, qual vai ser a postura dele em campo?

É uma equipe muito leve, habilidosa, que usa a velocidade como arma. Uma característica muito marcante nesse grupo é a união, todos muito amigos. Isso é levado para dentro de campo, onde todos os jogadores se ajudam, combatem e atacam da mesma forma. Sempre buscando o resultado positivo. Isso aí faz com que a gente possa sonhar um pouco com o título.

3) A Copinha pode ser uma forma de os jovens mostrarem trabalho e chamarem a atenção dos profissionais?

No cenário que está no Brasil, é uma chance não só dos atletas, mas também dos treinadores, de mostrar trabalho. Acho que a Copinha tem essa característica de apresentar novos atletas e agora também jovens e futuros treinadores para os profissionais.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos