Egídio chega ao Cruzeiro com objetivo ser o melhor lateral do Brasil

Assim como comemorou o retorno de Fred, o presidente Wagner Pires de Sá voltou a usar a frase "o bom filho a casa torna" na apresentação do lateral Egídio, que disputou 107 jogos e conquistou dois Campeonatos Brasileiros e um Mineiro com a camisa celeste, entre 2013 e 2014. Com um beijo no escudo do Cruzeiro, o jogador iniciou a coletiva de imprensa já revelando a intenção de voltar a ser o melhor lateral-esquerdo do Brasil.

- Eu vejo minha responsabilidade de voltar a ser o melhor lateral-esquerdo do Brasil, que foi como eu saí do Cruzeiro (em 2014). E não foi fácil conquistar essa posição de melhor. A minha concentração está voltada para dar o melhor em prol do Cruzeiro, que o destaque e as premiações individuais virão naturalmente.

Feliz em voltar a vestir a camisa celeste, Egídio garantiu que não pensou muito para assinar com o clube mineiro e exaltou a equipe, que conta com remanescentes e reforços de peso, algo que será essencial para as disputas de 2018 na visão do jogador.

- Quando falei com o presidente e com o Itair por telefone, eu não pensei duas vezes, aceitei voltar na hora, porque aqui eu me sinto em casa. Quando coloquei a camisa de treino, os funcionários me abraçaram, falaram que gostaram da minha volta e que eu ficava mais bonito com essa camisa. Depois eu olhei no espelho e achei que realmente era verdade, que eu fico mais elegante com a camisa do Cruzeiro. Deu para ver o foco de todos nesses dois primeiros dias de treino, com intensidade de treino e todo mundo querendo muito. Conversando entre nós, já colocamos que nosso objetivo maior é a Libertadores. E o elenco que foi montado pela diretoria é para brigar por tudo neste ano.

Com a camisa 6, que foi usada por Diogo Barbosa na última temporada, o lateral acredita que vai encontrar uma disputa acirrada pela titularidade no time comandado por Mano Menezes. No Cruzeiro, Egídio brigará por posição com Marcelo Hermes, contratado por empréstimo junto ao Benfica, Bryan, e Victor Luiz, revelação da base.

- Conhecia o Marcelo Hermes da época que jogava no Grêmio e tem todo o meu respeito. Recebemos de braços abertos todos os jogadores. Todo mundo que chega foi escolhido a dedo e chega para somar. Há uma disputa, claro. Ninguém chega aqui titular. Temos que mostrar nos treinamentos a nossa possibilidade de atuar. Vai ser sempre uma briga sadia, com o foco de ajudar o Cruzeiro.

O jogador também chega com a intenção de limpar o período ruim que viveu no Palmeiras no ano passado. Criticado pela torcida e com poucas oportunidades para se desenvolver em campo, Egídio disputou apenas 36 jogos pelo Verdão, com um gol e duas assistências. Com contrato por duas temporadas, o jogador terá a missão de ampliar a quantidade de troféus que conquistou ao longo de sua carreira em clubes como o Flamengo e o próprio Palmeiras.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos