Tempo de preparação pode ser empecilho na campanha da Chape no estadual e na Libertadores

Com tempo curto de preparação dos jogadores para o início da temporada, a Chapecoense tem pela frente o Campeonato Catarinense, que começa no dia 17, e também a Libertadores, no dia 31 de janeiro. A preocupação toma conta da comissão técnica, que teme o desgaste dos jogadores.

- Não podemos atropelar um protocolo dentro da parte de fisiologia e preparação física. Se eu atropelar esse protocolo, a lesão é inevitável. Se eu não preparar a musculatura dos atletas, podemos ter lesão de jogadores importantes, que não vamos ter reposição pelas características - disse o técnico Gilson Kleina.

Outro fator importante para o treinador é o período de adaptação dos novos jogadores. Não é novidade que a base do time da Chapecoense foi mantida para 2018. Apenas Luiz Antonio e Reinaldo não permaneceram na equipe. Túlio de Melo e João Pedro, reservas utilizados com frequência, também deixaram o clube. Até o momento sete atletas foram anunciados: Bruno Pacheco, Eduardo, Ivan, Vinicius, Guilherme, Márcio Araújo, ex-Fla, e Rafael Thyere, ex-Grêmio.

- Adaptação é super importante. Tem jogadores que se adaptam em 15 dias, outros demoram 90. Temos uma base montada, isso é importante. É mais fácil colocar dois atletas no meio de oito que estavam jogando, do que manter dois e colocar oito. Neste início vamos ter que ter uma rotatividade, não tem como em 12 dias prepara a equipe para o ano todo - analisou.

Os treinos com bola e a preparação física dos atletas deve começar no próximo sábado. O clube utilizará a estrutura do CT da Água Amarela.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos