Para ajudar em recuperação, Flamengo renova por seis meses com Ederson

  • Gilvan de Souza/ Flamengo

Após lutar contra um tumor no testículo direito, o meia Ederson teve uma grande notícia neste início de 2018. O contrato do atleta acabou no último dia 31, mas o clube acertou a renovação por mais seis meses para auxiliar na recuperação do jogador.

Na entrevista coletiva de apresentação de Paulo César Carpegiani, o diretor executivo de futebol do Flamengo, Rodrigo Caetano, foi perguntado sobre o atleta e falou sobre a renovação com o camisa 10.

"Ederson teve contrato renovado e no mês de fevereiro deve voltar a fazer algumas atividades com o grupo. Estendemos o contrato em condições distintas do anterior, para ele ter o tempo necessário de recuperação", disse.

O novo vínculo vai até a metade do ano. Rodrigo Caetano confirmou a reapresentação do meia para o dia 13 de janeiro, junto com os demais atletas, que ainda estão de férias.

"O contrato de Ederson será de seis meses. Era o mínimo que o clube poderia fazer. No dia 13, ele irá se reapresentar com o restante do elenco", afirmou o dirigente. A expectativa é a de que o meia tenha condições de iniciar o retorno aos gramados entre março e abril de 2018.

A batalha do jogador contra o câncer começou há cinco meses, quando descobriu a doença através de um exame antidoping. O departamento médico do Flamengo investigou até chegar ao diagnóstico. A primeira cirurgia foi realizada em 28 de julho, quando o meia teve o testículo retirado e implantou-se uma prótese.

A partir daí, sessões de quimioterapia até o último procedimento cirúrgico, feito no início de dezembro para a retirada de massa residual da região. Depois de um tratamento agressivo e da descoberta de que a doença começou no abdômen, o jogador celebrou a liberação dos médicos recentemente.

"Espero voltar em breve ao trabalho e jogar futebol. Sempre quis levar alegria às pessoas. Depois de tudo o que aconteceu, reforcei ainda mais a minha vontade".

Agora, Ederson terá a chance de tentar voltar ao futebol mais uma vez. Com a camisa rubro-negra, ele realizou 38 partidas oficiais e fez quatro gols. O meia está desde julho de 2015 na Gávea, mas sempre sofreu com problemas físicos.

Antes da descoberta do câncer, o camisa 10 chegou a ficar 311 dias afastado dos gramados. Os pouco mais de dez meses em recuperação começaram com uma tesoura aplicada pelo lateral corintiano Fagner. Na sequência, ele teve outras lesões e passou por uma cirurgia no joelho em setembro de 2016.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos