Jogador do Estanciano diz que foi procurado para receber suborno na Copinha

  • Reprodução/Facebook

As acusações de suborno nas partidas que o Estanciano disputou na Copa São Paulo de Futebol Júnior ganharam nesta quinta-feira um novo desdobramento. Em entrevista à EPTV, afiliada da Rede Globo, o atacante Daniel detalhou que foi um dos atletas que receberam ofertas dos aliciadores, supostamente empresários ligados a empresários chineses:

"A gente estava no hotel e soube que dois empresários queriam falar com a gente. Descemos, entramos no carro e começamos a conversar. Eles disseram que tinham proposta do time da China, que levariam a gente para lá. Mas em um momento começou a falar de pagamento para entregar o jogo. Nesse momento, comecei a gravar. É um momento difícil, dá um aperto na gente, que fica com medo, e fica ruim para o clube também."

O camisa 9 do clube sergipano afirmou que os dois aliciadores se diziam empresários, e um dava o nome de Tiago. A ele e aos atletas Caio e Tiago supostamente foram oferecidas quantias para que a equipe sofresse derrota para a Itapirense. Ainda haveria uma bonificação:

"Eles comentaram que dariam o dinheiro na nossa mão antes ou depois do jogo. Eram R$ 2 mil para perder. Se fizesse pênalti, davam mais R$ 500. Em nenhum momento chegamos a pensar em aceitar. Ficamos com medo. Pegamos a gravação e passamos para os nossos responsáveis."

Daniel lamentou a situação da equipe, que se despediu com três derrotas da competição no Grupo 19. A última derrota ocorreu na última quarta-feira, por 2 a 0, para o Volta Redonda:

"Não é coisa de gente honesta. O Estanciano é um clube carente, que necessita de ajuda, mas em nenhum momento precisamos disso para mostrar futebol. Temos meninos que estão sonhando e trabalhamos com honestidade e humildade", concluiu Daniel.

Além da oferta aos jogadores, há acusações de que o técnico Ricardo Ricardo Pereira receberia R$ 7 mil, e o Estanciano embolsaria R$ 30 mil. Diretor de futebol do clube, Janílton Oliveira, o "China", rechaçou a hipótese de que a equipe tenha aceitado o suborno:

"Nosso time nunca entregou e nunca entregaria comigo no comando. Até tem um áudio meu gravado, que se existisse a possibilidade de isso aconteceria, a equipe abandonaria a partida, receberia punição e explicaria o motivo. A dignidade do homem não se compra com cinco, sete ou 15 mil reais."

O dirigente ainda afirmou que os aliciadores deixaram a cidade de Itapira após o episódio envolvendo Ricardo Oliveira. O técnico entregou o cargo depois do primeiro jogo da Copinha.

"Eles disseram que eram cariocas e representavam um grupo chinês. Primeiro se apresentaram como empresários, depois, com os atletas, admitiram que trabalhavam com apostas, que todo mundo ganhava dinheiro e que era interessante eles fazerem também. É uma situação que precisa ser apurada pelos órgãos competentes."

Sidney Araújo se licenciou do cargo, negando as acusações de ter participado do suborno.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos