Lucas admite saída iminente e diz que futebol inglês "agrada muito"

  • Shaun Botterill/Getty Images

A saída de Lucas Moura do PSG para iminente. Em entrevista após a partida contra o Nantes, pelo Campeonato Francês, o atacante classificou como "muito difícil" sua permanência e teceu elogios ao Campeonato Inglês – o nome do brasileiro tem sido especulado no Manchester United.

"Acho difícil (permanecer). Não posso falar que não existe, mas acho muito difícil, pelas entrevistas que o treinador deu e pelas conversas que tivemos. Creio que está chegando ao fim meu ciclo no Paris, infelizmente. São cinco anos, difícil você deixar um lugar que você gosta muito, mas futebol é assim", afirmou.

"Difícil escolher. Campeonato Inglês me agrada muito, é o mais disputado do mundo. Encanta qualquer um. Espanha também. Vai depender das propostas", continuou.

Sobre um retorno ao futebol brasileiro, Lucas disse não ver com maus olhos, mas deixou claro que seu objetivo é seguir na Europa. "Acho que tudo depende. Vai depender do meu desempenho, como o time vai estar também. Não vejo com maus olhos um retorno agora, mas sempre disse que meus planos, desde que cheguei aqui, era fazer uma carreira na Europa para depois voltar ao Brasil. Tudo depende das conversas. Estou decidindo meu futuro, logo vão saber".

No último domingo, Lucas ficou apenas no banco diante do Nantes, pelo Campeonato Francês - sem Neymar, o PSG venceu por 1 a 0. Esta é a sexta temporada do meia ex-São Paulo no clube francês e, até aqui, são apenas seis partidas (ou escassos 79 minutos) e um gol marcado em 2017/18.

Técnico não pretende aproveitar Lucas Moura

No clube francês, Lucas Moura já ouviu do treinador, Unai  Emery, que ele busque jogar por outro clube, com a sinceridade da falta de espaço no elenco. A conversa franca com Unai  Emery foi realizada ainda antes do início da temporada, mas o meia confiou que o bom relacionamento com Neymar – eles atuaram juntos na seleção olímpica e principal - mudaria o cenário no clube. Pura ilusão.

O plano de Lucas Moura foi o de ficar no PSG até janeiro já que isso também significou obter o passaporte francês. Os 5 anos trabalhando no país, necessários para a obtenção do documento, foram completados – ele chegou ao PSG em janeiro de 2013.

Outro detalhe importante para Lucas Moura seguir em Paris no começo da temporada foi a gravidez da mulher, Larissa Saad. O primeiro filho nasceu recentemente. O casal gosta da ideia da mudança para a Inglaterra, e não cogita aceitar propostas de países árabes, ou da China, por exemplo.

A permanência no PSG é considerada difícil. A paciência de Lucas Moura no clube acabou com as constantes ausências na lista de convocados para jogos da Liga dos Campeões. Nesta temporada, o brasileiro tem apenas 6 jogos disputados. Todos vindo do banco de reservas.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos