Spartak Moscou será investigado por acusação de racismo com brasileiros

Nesta segunda-feira, a União de Futebol da Rússia (UFR) anunciou que vai investigar a postagem do zagueiro Georgi Dzhikiya no perfil oficial do Spartak Moscou no Twitter, onde ele chama Fernando, Pedro e Luiz Adriano, os brasileiros do clube, de "chocolate".

A polêmica começou com uma postagem de um vídeo no último sábado, onde os três jogadores aparecem treinando em Dubai. Dzhikiya, que estava responsável pelos tweets no dia, escreveu "vejam como chocolate derrete no sol". Com a repercussão negativa, o clube apagou a mensagem.

Depois disso, o Spartak publicou um vídeo e uma foto dos quatro jogadores juntos em que eles dizem não haver racismo na equipe. O zagueiro, inclusive, pediu desculpas. A imprensa local afirma que o atleta pode ser punido por várias partidas.

A Fifa condenou o episódio, mas afirmou que caberia à federação local lidar com o incidente. A Rússia vai sediar a Copa do Mundo deste ano e tem feito campanhas para evitar que episódios racistas ocorram durante a competição.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos