Suárez diz que chorou quando Barça confirmou sua contratação após mordida

Em entrevista ao companheiro Gerard Piqué ao site "The Players Tribune". o atacante Luis Suárez relembrou momentos de sua carreira, principalmente na seleção uruguaia. Um dos episódios mais marcantes de sua passagem foi quando ele mordeu o zagueiro Chiellini, em partida contra a Itália na Copa do Mundo de 2014. Com tudo certo para ir ao Barcelona, ele admitiu que temeu que a equipe espanhola desistisse do negócio.

- Depois que fiz, percebi imediatamente. Não comemorei muito o gol, porque já estava pensando no que aconteceria depois. Foi um momento muito difícil para mim e para o grupo. O que acontece afeta e machuca - começou falando.

- Sim, sim (teve medo de não ir ao Barça), porque era tudo. Além de pensar na Copa do Mundo e ser capaz de realizar meu sonho de vir para o Barça, tudo havia ido por água abaixo para mim. E eu acho que alguns dias depois disso, antes de eles me tirarem da Copa do Mundo, foi quando eu falei com o Zubi (Andoni Zubizarreta) e o presidente. Eles me disseram para ficar calmo porque o Barça ainda me queria. E eu não tenho problema em dizer isso, eu chorei. Eles estavam aceitando, e com o que eu fiz naquele momento, com os problemas que eu causei, era complicado confiar em mim. A verdade é que o Barça foi muito bom comigo e eu sempre serei grato por isso.

Em 2010, Uruguai e Gana jogavam pelas quartas de final do Mundial. Para evitar a eliminação da Celeste, centroavante colocou a mão na bola dentro da área e foi expulso. Gyan acabou desperdiçando a cobrança. Suárez revelou que um de seus companheiros, o goleiro Juan Castillo, que jogou no Botafogo entre 2008 e 2009, desmaiou no lance.

- Foi um pouco de tudo. Estar triste por ter sido expulso, porque íamos perder, mas se eles não marcassem aquele gol, não perderíamos. Quando ele bateu aquele pênalti, a satisfação... Assumi o risco em um lance que fui acusado de falta de fair play, mas eles terem perdido não foi minha culpa. Eu não chutei alguém ou algo do tipo, é por isso que eu acho que comemorei daquele jeito, por arriscar algo que valeu a pena. E eu lembro que comemorei mais que um gol. Um companheiro de equipe desmaiou na jogada, o Juan Castillo. Eu saí gritando e fui para o vestiário ver os pênaltis - afirmou.

- A verdade é que foi doloroso ver os pênaltis do vestiário. Vou te dizer, quando o Loco Abreu bate o pênalti ele dá uma cavadinha, e eu estava com um dos roupeiros. Nós estamos vendo o que 'El Loco' está fazendo e dissemos: "bem, bem, bem", e vemos todo mundo correndo. Não havíamos percebido que ganhamos. E aí nós corremos para o gramado, foi incrível. Foi um momento que, para mim, é um dos melhores momentos que passei com a seleção.

Suárez relembrou sua lesão antes da Copa do Mundo de 2014 e a ansiedade para entrar em campo, mesmo que o técnico Óscar Tabárez tivesse dito a ele para ter calma. Além disso, falou sobre a motivação para voltar contra a Inglaterra pelos momentos que passou depois de sua saída do Liverpool. Por fim, ele analisou o cenário para a Copa da Rússia.

- Tem muitas seleções fortes. Favoritos... o Uruguai. Não, eu acho que temos muitos. Obviamente, os times europeus: Alemanha, por ser a atual campeã. A Espanha está jogando em um grande nível. Gosto bastante da França, dos jogadores que eles têm, embora a maioria deles seja jovem hoje, mas a França é a França. E, obviamente, Argentina, Brasil e Uruguai - completou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos