Herdeiro da 11 do Santos, Bruno Henrique busca "ano perfeito"

  • Ivan Storti/Santos FC

Artilheiro do Santos na temporada passada com 18 gols, Bruno Henrique teve o melhor ano de sua carreira em 2017, mas isso já é passado. Em 2018, ele tem diversos fatores a seu favor para fazer desta sua melhor temporada.

O primeiro trunfo surge como pressão. Com as saídas de Lucas Lima e Ricardo Oliveira, o atacante passou a ser a principal esperança do torcedor santista na temporada que começa nesta quarta-feira, quando o Santos estreia no Paulistão contra o Linense, às 19h30, fora de casa.

No entanto, Bruno não se deixou levar e matou no peito a cobrança. Tanto que aceitou a sugestão do clube para trocar a numeração da camisa e assumir a 11 que já foi de Neymar e Pepe.

"Perdemos alguns dos pilares da nossa equipe na temporada passada, mas a diretoria está trabalhando para repor, aqui mesmo no grupo temos jogadores de qualidade que podem nos ajudar. Acho que de certa forma é um reconhecimento pelo meu trabalho durante o ano passado. Saber que a torcida confia em mim é motivação, não pressão", disse.

"Quando cheguei, escolhi a 27 por ser um número simbólico na minha vida pessoal e fui muito feliz com ela. Agora que o Santos me ofereceu a 11, que já foi de um craque e ídolo que é o Neymar, não podia recusar. Espero representar bem essa camisa tão sagrada para o clube", disse ao L!.

A grande preocupação quanto ao principal candidato a astro do time está na Libertadores. Devido à cusparada que deu em Gabriel Marques, do Barcelona de Guayaquil, durante a eliminação do Peixe na última edição da competição, a Conmebol lhe aplicou uma pena de cinco jogos de suspensão.

Enquanto o Peixe tenta reverter a punição, Bruno Henrique mira outra Copa, a do Mundo. Restando pouco mais de cinco meses para o Mundial na Rússia, o atacante se apoia na declaração de Tite, de que o grupo da Seleção Brasileira não está fechado, para sonhar em vestir a camisa amarela.

"Acredito, sim. Sei do meu potencial, fiz um ano de 2017 muito bom e inclusive cheguei a ser citado pelo Tite em algumas entrevistas. O professor está observando e com certeza dará oportunidade a todos que estiverem merecendo. Cabe a mim seguir atuando em alto nível, ajudando o Santos e evoluindo a cada jogo que com certeza a oportunidade vai aparecer", analisa.

Aos 27 anos, o principal jogador santista do momento comemora o fato de ter iniciado a pré-temporada junto do elenco, já que em 2017 ele só foi liberado pelo Wolfsburg (ALE) apenas no fim de janeiro.

Na competição em que se destacou para se tornar titular do time, o camisa 11 volta à disputa com prestígio e com objetivos diferentes de um ano atrás.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos