Recurso do Fluminense para derrubar liminar que libera Scarpa é negado

Em sua primeira tentativa, o Fluminense não conseguiu derrubar a liminar que liberou Gustavo Scarpa de seu contrato. O desembargador Álvaro Luiz Carvalho Moreira negou um agravo interno do Tricolor pedindo a revisão da decisão que deixou o meia livre para negociar com outros clubes. Dias depois, o Palmeiras anunciou a contratação do atleta.

A informação foi publicada inicialmente pelo site do "Globoesporte". Além disso, o desembargador deu o prazo de oito dias para Gustavo Scarpa manifestar-se e outros 30 dias para o parecer do Ministério Público do Trabalho sobre o caso. Então, depois disso, um colegiado de desembargadores julgará o recurso feito pelo Fluminense de forma definitiva.

O caso "Gustavo Scarpa x Fluminense" começou em 22 de dezembro, quando o meia entrou contra o clube na Justiça reclamando os atrasos dos vencimentos - salário, direito de imagem, férias e 13º. O atleta pedia a rescisão contratual indireta e imediata e o pagamento de mais de R$ 9 milhões referentes aos atrasos e salários até o fim de seu vínculo em setembro de 2020.

A primeira decisão da juíza Dalva Macedo, da 70ª Vara do Trabalho, foi negar o pedido de Gustavo Scarpa, afirmando ser uma atitude temerária, com efeitos "irreversíveis para as partes e terceiros envolvidos". Então, o meia entrou com um mandado de segurança em segunda instância e obteve a liminar que o permitiu a assinar com o Palmeiras um contrato de cinco anos.

A audiência definita do caso acontecerá no dia 16 de abril após pedido de adiantamento feito pela juíza Dalva Macedo por conta "da urgência da medida pleiteada".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos