Sheik fala em mágica na Liberta e não descarta mordida em argentino

Emerson Sheik assinou contrato com o Corinthians até o fim de junho deste ano. Dessa forma, se o vínculo for cumprido, ele pode não disputar as fases finais da Libertadores, caso o Timão avance. Isso porque a competição sul-americana agora é disputada em toda a temporada. Logo ele, autor dos dois gols na final do único título alvinegro no torneio, em 2012... Mas esse fator não tira a empolgação do atacante em voltar a disputar a Liberta.

- Óbvio que voltar a disputar uma Libertadores pelo Corinthians é uma situação mágica. A única Libertadores que o clube tem eu participei. Poder estar em campo disputando essa competição, que talvez tenha feito o torcedor gostar mais de mim, realmente é uma honra, vou me sentir privilegiado - afirmou Sheik.

Ao comentar a possibilidade de não disputar a reta final, Sheik relembrou o episódio em que mordeu o zagueiro argentino Caruzzo na final contra o Boca Juniors (ARG) no Pacaembu. O lance acabou entrando para a história e o atacante não descartou repeti-lo.

- Final agora mudou, é lá em dezembro. Não sei. Tenho seis meses. Se não for mordida, e for vitória, está maneiro. Se tiver que ter, vai ter. Esse sou eu - disse Sheiik.

O Corinthians estreia na Libertadores no dia 28 de fevereiro contra o Millonarios (COL) em Bogotá.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos