Contratado pelo Cruzeiro, David está longe de atuar com a camisa celeste

O atacante David, contratação do Cruzeiro para a temporada de 2018, está se recuperando de uma lesão na parte posterior da coxa direita. O jogador fará um exame, nos próximos dias, para verificar se houve evolução na recuperação.

Aprovado nos exames médicos antes de assinar o vínculo com a Raposa, David ao chegar no clube mineiro, informou sobre a lesão. O médico do Cruzeiro, Sérgio Campolina, no entanto, afirmou em entrevista ao site do Globo Esporte, que a gravidade da lesão era maior do que o que tinha sido informado. O doutor ressaltou também que atualmente o atleta está sem dor na região lesionada.

- Quando ele se apresentou, estava com um desconforto na coxa (direita), por causa da lesão muscular no Vitória. Ele fez uma avaliação inicial no clube dele, o Vitória. Quando ele chegou aqui, como de praxe, o atleta informa uma lesão. Foi feito um aprofundamento, entre aspas, da gravidade com lesão. Viu-se que é uma lesão muscular mais importante do que havia sido informado, mas é uma lesão que, no momento, ele está sem dor nenhuma. Ele está em tratamento fisioterápico, e o que agarrou um pouquinho foi a questão contratual. Para assinar contrato, ele precisa ser aprovado nos exames médicos. Ele foi aprovado, mas tinha a ressalva do tratamento da lesão, que foi o que agarrou um pouquinho - disse o médico cruzeirense.

Na próxima quarta-feira, David fará um novo exame. Caso seja constatado que ele não teve a evolução desejada, o Cruzeiro vai avaliar se devolve o atleta para finalizar a recuperação em Salvador. Entretanto, Sérgio Campolina acredita que o atacante dará uma resposta positiva no exame.

- Muito se falou da lesão, mas ele tem evoluído muito bem, tem respondido bem. O atleta está envolvido no tratamento, tem feito tudo que tem sido orientado a fazer. Então, ele está respondendo bem. Ele continua fazendo os exames periódicos. Essa semana tem um prazo final na quarta-feira, que é o prazo para fazer a ultrassonografia, justamente para perceber se a lesão está tendo uma evolução que a gente tem acompanhado - disse o doutor.

Sérgio Campolina explicou que mesmo com a melhora, David ainda não está liberado para trabalhar no campo. A falta de cicatrização na coxa direita também tem impedido o jogador de fazer um trabalho mais intenso.

- Normalmente, essa lesão tem uma média de 12 semanas para ela estar estável, cicatrizada, que é quando você faz uma transição para o campo. Quando ele estará liberado para o técnico. Geralmente, quando você tem oito semanas, o atleta já está com estabilidade nesse músculo e já progride para um parte física no campo. Então, em 12 semanas, em média, ele está livre para o técnico, caso queira, coloca-lo em condição de jogo. Agora, ele está com seis semanas, vai completar a sétima semana agora.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos