Técnico da Chapecoense pede aos jogadores humildade e pés no chão para jogo contra o Criciúma

Sem vencer dentro do Heriberto Hülse há 18 anos, a Chapecoense pretende acabar com o jejum. A última vez que a Chape voltou do Majestoso com três pontos na bagagem foi em 2000, quando venceu por 2 a 1, pelo Catarinense. O técnico Gilson Kleina sabe do desafio diante do Criciúma e prega respeito dos jogadores para que a Chape consiga triunfar.

- É manter a humildade, os pés no chão e a vontade de vencer para que a gente possa pensar na vitória. Por mais que a gente esteja mudando muito a equipe, sempre acredito no potencial de cada jogador, porque eles fazem parte do plantel. Os números ficam para a história, mas queremos primeiro a vitória. Se não der, é trazer pontos para Chapecó - disse o comandante.

Para o treinador, alguns atletas do Tigre merecem atenção. O técnico teve a possibilidade de estudar o time do Criciúma e aponta o conjunto como ponto forte do adversário.

- O que me chamou atenção são os volantes do Criciúma. Tanto o Douglas Moreira como o Barreto fazem o time jogar. Alex Maranhão já é identificado com a torcida, tem uma bola parada qualificada e uma transição rápida com Mailson e os laterais. Temos que estar atentos. Importante é não desfigurar, é manter a identidade, por mais que tenham todas essas trocas - afirmou o treinador.

A partida está marcada para esta quarta-feira, as 21h45, e é válida pela terceira rodada do Campeonato Catarinense. Lucas Mineiro e Alan Ruschel devem ganhar uma chance na equipe.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos