Cueva pede desculpas à torcida, mas diz que precisa jogar para ir à Copa

Mais uma vez, Cueva convive com polêmica no São Paulo nesta semana. O diretor executivo de futebol Raí disse que ele solicitou para não participar do jogo dessa quarta-feira, contra o Mirassol, e o peruano chegou a rebater em suas redes sociais, em publicação que pagou pouco depois. Agora, o camisa 10 pede desculpas. Embora ressalte que precisa jogar.

- Peço desculpas pelo caso, principalmente à torcida. Sinto esse mal estar, que nunca havia acontecido comigo. Tenho um cara que trabalha com minhas rede sociais e, quando nos demos conta do que foi publicado, tiramos. Mesmo sem má intenção, ele colocou algo errado. Pessoalmente, se não estava nos planos, queria entender para saber se busco uma saída para poder jogar. Tenho de brigar por vaga na minha seleção, como todos os meus companheiros. Quero brigar para jogar no meu clube e brigar por vaga na seleção - disse ao Sportv.

Em todas as suas manifestações, o meia deixa claro seu foco na Copa do Mundo. Até por isso, ciente de que o Tricolor não quis negociá-lo com o Al Hilal, da Arábia Saudita, neste mês, informa que pretende cumprir seu contrato com o clube até janeiro de 2021. Contanto que não fique na reserva.

- Tenho contrato com o São Paulo e respeito isso. Pensar em sair é uma coisa que não dá agora, por tudo que aconteceu. Tive momentos ruins jogando no São Paulo, mas nunca me escondi nem deixei o São Paulo sozinho, como o clube e meus companheiros também não me deixaram. Tenho de trabalhar e seguir focado em jogar e ter um lugar na minha seleção. Se estou nos planos do técnico e do clube, vou seguir brigando por esse espaço.

A respeito de sua apresentação depois das férias com seis dias de atraso, Cueva reforça que tinha compromissos publicitários no Peru. Ainda assim, foi multado, mas o jogador assegura que está tão bem fisicamente que, segundo o próprio meia, foi dele o pedido a Dorival Júnior para ser relacionado e entrar no fim do jogo diante do Novorizontino, no último sábado.

- Eu tinha um contrato publicitário no Peru. Não avisei o clube no tempo correto, mas tomei minha multa, aceitei o erro. Isso foi falado e solucionado internamente. Impuseram a multa e aceitei. Depois disso, voltei e comecei a trabalhar. Ninguém fala que vim melhor fisicamente do que no ano passado e, por isso, pedi ao técnico para ir ao banco contra o Novorizontino, para ajudar meus companheiros e o clube. Mas também não quero falar disso. Sei quem sou, quero ajudar o clube. Não quero falar de nada, só trabalhar.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos