Lembra? Após três anos, Palmeiras revê rival da estreia de Gabriel Jesus

  • Danilo Verpa / Folhapress

O Palmeiras não enfrenta o Bragantino, rival deste domingo, às 17h, desde 7 de março de 2015. O Verdão de Oswaldo de Oliveira venceu por 1 a 0 naquele sábado à noite, gol de Rafael Marques, mas a partida ficou marcada por outro fator: a estreia profissional de Gabriel Jesus.

Já conhecido da torcida pelos gols que marcava na base, o jovem de 17 anos substituiu Leandro Pereira aos 27 minutos do segundo tempo.

Era a terceira vez que ele ficava entre os reservas. A primeira foi ainda em 2014, com Ricardo Gareca, em um jogo no Pacaembu contra o Atlético-MG, e a segunda foi dias antes da estreia, na Bahia, contra o Vitória da Conquista.

Já com a camisa 33, número que conserva até hoje no Manchester City (ING), Gabriel se posicionou como centroavante, sua posição de origem, e teve uma chance aos 44: o chute rasteiro de fora da área saiu à direita do goleiro Lauro, do Bragantino.

Pouco antes de sua única finalização, mostrou ótimo senso de posicionamento ao esperar na marca do pênalti, livre, um cruzamento de João Pedro, que preferiu bater fechado. Quando precisou disputar corrida com o zagueiro, ganhou, mas acabou ficando sem ângulo para chutar. Vieram também o primeiro impedimento, embora ele tenha esperado ao máximo pelo passe para entrar na área, e a primeira pancada mais dura, de Thiago Martinelli, punido pelo juiz com cartão amarelo. No mais, passes de primeira e um lançamento de três dedos que deixou Victor Ramos livre para avançar pela direita. Se fosse um atacante...

Muita coisa mudou desde aquele dia. Dos atletas que participaram da partida, só dois estão no Palmeiras: Fernando Prass, titular no jogo de três anos atrás e hoje reserva, e Victor Luis, que saiu do banco no jogo de 2015 e hoje é titular. Outro que ainda está no clube é Zé Roberto, mas agora como assessor técnico.

"Estava com o Maikon Leite na concentração, a gente ficou conversando, dando risada. Até me surpreendi porque consegui dormir cedo, era meu primeiro jogo aqui na arena. Mas quando o professor falou "Gabriel, Gabriel", olhei duas vezes, porque não imaginava. A ansiedade fez até eu abafar (perder o fôlego) um pouco, porque entrei acelerando demais. Mas é normal, fiquei muito feliz com o apoio da torcida", declarou o estreante naquela noite.

Mais de 29 mil pessoas viram o Palmeiras jogar com a seguinte formação: Fernando Prass, João Pedro, Victor Ramos, Jackson e João Paulo; Amaral (Victor Luís) e Renato; Maikon Leite (Arouca), Zé Roberto e Rafael Marques; Leandro Pereira (Gabriel Jesus).

Jesus iniciou sua vida no Palmeiras em 2012 e começou a despontar em 2014, pelo time sub-17. Foram apenas dois anos no profissional e uma ascensão meteórica: dois títulos nacionais, a artilharia no elenco em 2016 e a venda de R$ 115 milhões para o Manchester City (ING). A adaptação à equipe de Guardiola foi rápida e rendeu-lhe uma vaga praticamente cativa no ataque da Seleção Brasileira de Tite. A participação na Copa do Mundo é iminente.

Ele acumulou 28 gols em 85 partidas pelo Verdão. Na Seleção Brasileira, são oito bolas na rede em 13 jogos, sem contar a Olimpíada, quando anotou três vezes em seis exibições. No Manchester City, o atacante de 20 anos tem 17 gols em 38 partidas.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos