São Paulo começa a apresentar seu estilo de jogo para 2018

A derrota para o Corinthians, por 2 a 1, foi muito lamentada pelo elenco são-paulino e também pelos torcedores nas redes sociais. Principalmente porque os gols do rival nasceram de falhas do sistema defensivo e o time não conseguiu reverter a desvantagem no segundo tempo. Apesar do revés, há alguns pontos positivos que necessitam ser destacados.

Depois de apostar em um rodízio nas primeiras rodadas do Paulistão e voltar atrás em sua decisão após maus resultados contra São Bento e Novorizontino, o técnico Dorival Júnior começa a definir o padrão tático do São Paulo para a temporada 2018. O 4-1-4-1 utilizado no ano passado, com Hernanes, passa a ser substituído pelo 4-3-3, com dois atacantes abertos pelas beiradas do campo e o centroavante recuando para buscar a bola.

Na etapa inicial, o garoto Brenner, de apenas 18 anos, e Marcos Guilherme jogaram quase colados na linha lateral do campo e tentaram abrir a defesa adversária, que tende a jogar compacta para não dar espaços aos adversários. A ideia é que os meias encostem nos atacantes, triangulem e cheguem à linha de fundo ou entrem na área para finalizar.

O camisa 9, referência do sistema ofensivo, fica responsável por segurar os zagueiros dentro da área, enquanto o atacante aberto pelo outro lado e mais um meia chegam para chutar ao gol adversário. Foi desta forma que Éder Militão encontrou Brenner livre de marcação no gol solitário do Tricolor. O lateral avançou ao ataque, Diego Souza saiu da área e puxou a marcação. Veloz, Brenner entrou no espaço aberto e mandou a bola para o fundo da rede defendida por Cássio.

Com as chegadas de Tréllez e Nenê, o São Paulo passa a ter mais opções e ganha em qualidade. técnica. Isto porque, Dorival terá a opção de jogar com o centroavante colombiano entre os zagueiros, enquanto Diego Souza, Nenê e os dois pontas chegam para finalizar em bloco. Vale lembrar que o treinador são-paulino ainda tem o peruano Cueva no elenco e saída do meio-campista não foi concretizada.

Ao que tudo indica, o clube do Morumbi deve apostar neste sistema para a temporada. O técnico Dorival Júnior trabalha o time desta maneira desde a pré-temporada e, em sua entrevista coletiva, deu sinais de que a equipe está no caminho certo, apesar da derrota. Afinal, o São Paulo, de fato, criou bastante. O sistema está sendo ajustado e o time busca o entrosamento. É natural que haja falhas durante esse processo.

- Inflitramos várias vezes. Chegamos várias vezes ao gol adversário. Tivemos criação e triangulações próximas à área. Vamos encontrar, assim como encontramos como o Mirassiol. Foi um time vibrante e que não se entregou. Tivemos dois cabeceios com os pés no chão, bola na trave, chegamos em condições de conclusões, mas erramos muito. O time está tentando, mas, infelizmente, o resultado em si não veio, disse o treinador são-paulino.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos