Vida sem Nenê: as opções de Zé Ricardo para a criação do Vasco

Depois de dois anos e meio com a camisa do Vasco, Nenê deu adeus ao clube. Na última sexta-feira se despediu do Cruz-Maltino, acertando com o São Paulo. Já não enfrentou o Flamengo no Clássico dos Milhões do último sábado que terminou empatado pelo Campeonato Carioca, em um jogo que Evander assumiu a sua função - no fim ficando também com o Wagner. Mas não foram bem como o esperado.

Evander, durante as categorias de base do Vasco, atuava na função de camisa 10, a mesma que Nenê praticava no profissional. Recebeu algumas chances no time adulto, mas não conseguiu uma sequência, sempre retornando para a base. Com Zé Ricardo, foi improvisado como volante, brilhando entre os titulares no segundo semestre de 2017. Uma mudança de função que caiu bem para o seu futebol.

A saída de Nenê obrigou o técnico Zé Ricardo a fazer alterações no esquema de jogo. Acabou adiantando Evander na equipe titular do Vasco, passando a jogar de costas. Não rendeu conforme o planejado pelo treinador. Wagner acabou no segundo tempo do Clássico dos Milhões assumindo a função de 10 e também ficou abaixo. Outra opção, Thiago Galhardo não foi relacionado. Zé comentou.

"Evander foi adiantado um pouquinho, conversei com ele. Há um tempo que não vem jogando de costas. A gente vem tentando fortalecer ele jogando de frente. Entendo que o Wagner pode jogar. É uma ideia nossa que ele possa jogar e gerenciar esse espaço. Por pouco não conseguimos colocar o Thiago Galhardo, que joga naquela função", afirmou o treinador em coletiva após o empate no clássico.

A situação do Vasco sem Nenê não é das melhores. Apesar de nos últimos meses ter sido criticado pelos torcedores, o meia ainda assumia a responsabilidade e era um dos destaques do time. Principalmente nas ocasiões de bola parada. Mas há sim vida sem Nenê. Para isso, o Cruz-Maltino terá que readequar o sistema, focando em ajustar pontos das opções Evander, Wagner e Thiago Galhardo.

Isso também, vale destacar, se um quarto nome não for contratado. O vice-presidente de futebol Fred Lopes garantiu que o Vasco vai atrás de um jogador para repor o lugar de Nenê no time. Para a disputa de uma Conmebol Libertadores - cujo o Cruz-Maltino estreia na quarta-feira contra o Universidad Concepción - é importante um reforço à altura para a criação. Para os demais torneios, o que já tem no elenco é suficiente.

Caberá ao Vasco ir atrás de seus objetivos. O clube sabe da importância de avançar na Libertadores. Os 25 jogadores inscritos pelo técnico Zé Ricardo para as fases que antecedem a de grupo precisarão se desdobrar para fazerem suas funções. Com a mesma escalação do clássico com o Flamengo, com o mesmo desempenho, será difícil. Mas não é impossível para o Vasco, resgatando sua força, avançar sem Nenê. Não poderá errar.

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos