Com perfil 'não visto nem em Cotia', Tréllez chega citando Pato e Kaká

Dorival Júnior admitiu que não pediu a contratação de Santiago Tréllez. Mas o diretor executivo de futebol Raí ressaltou que o atacante colombiano de 28 anos é uma opção que nem as categorias de base oferecem. E o ex-jogador do Vitória disse até ter inspiração em atletas de sucesso recente no São Paulo para se mostrar à vontade.

- Meu ídolo sempre foi Ronaldo Fenômeno. Mas gosto de Adriano, Alexandre Pato, Kaká. Seguimos muito o São Paulo na Colômbia. É um sonho chegar a um time grande como esse. Sei que o time não ganha há muitos anos, mas pressão não me deixa pequeno, gosto mais. Chegamos em momento difícil, mas é bom chegar para fazer história e diferença - indicou Tréllez.

O Tricolor gastou cerca de R$ 6 milhões por 70% dos direitos econômicos do colombiano, que atuou por 12 clubes diferentes e assinou contrato de quatro temporadas com o São Paulo. Se não foi pedido por Dorival, tem o aval de Raí, que lhe entregou a camisa ao apresentá-lo nesta segunda-feira e não cansou de elogiar um dos destaques do Vitória no Brasileiro de 2017.

- Nem na base temos esse tipo de jogador, esse biotipo do Tréllez. Vai dar mais opções táticas e técnicas para o Dorival. É um grande atacante, com característica que grupo não tinha, de goleador, homem de área, com um estilo que agrega muito ao nosso grupo - disse Raí.

- Estou muito contente. Posso ajudar como fiz no Vitória, com gols e boas atuações, por isso vim para cá. Aqui tem jogadores de muita qualidade, e o time precisa ganhar coisas. Vim para isso. Vou dar a vida por esse time - prometeu Tréllez.

Confira outros temas abordados pelo atacante em sua apresentação:

Procura de rivais

No fim do ano, falaram de Santos e Corinthians, mas primeiro clube que me procurou foi o São Paulo. Não deu certo no início, mas São Paulo mostrou vontade de me ter, entrou em acordo com Vitória e tive uma vontade muito grande de estar aqui.

Concorrência com Diego Souza

Time grande é assim, com concorrência. Gosto disso, de desafio, é bom para o time ter isso. Jogo em várias posições, na beirada, como referência, e o Diego também gosta de jogar recuado. É no dia a dia. Tenho muita gana e sei que o ano será bom para nós.

Momento na carreira

É o melhor momento da minha carreira. Tenho maturidade, passei por muitos times, mas agora estou bem, confiante. As coisas vão sair muito bem para mim e todo o time. Temos de fazer um bom ano.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos