'Neymar precisava sair da sombra de Messi', justifica Daniel Alves

Em agosto de 2017, Neymar mudou a rotação do mundo da bola quando, por 222 milhões de euros (cerca de R$ 824 milhões), optou por deixar o Barcelona e se aventurar no Paris Saint-Germain em busca de protagonismo. E a opção foi defendida pelo companheiro Daniel Alves, sobretudo pelo "quesito Messi".

- Acho que, junto a Messi, Neymar é o jogador mais desequilibrante no futebol mundial. Mas precisava sair um pouco de sua sombra. Jogar com alguém tão incomparável como Leo é a coisa mais incrível que pode acontecer, mas sempre haverá a dúvida se você realmente tem qualidade ou é ele - disse Dani, em entrevista ao site oficial da Fifa.

Daniel Alves tornou-se próximo a Neymar pelos anos que passaram juntos na Catalunha (de 2013 a 2016). Em seguida, o lateral-direito rumo à Juventus antes de assinar com o PSG, o que se deu dias antes do camisa 10. No entanto, Daniel garante não ter tido peso na chegada do atacante revelado pelo Santos, sem companheiro também na Seleção Brasileira.

- Não tive quase nada a ver. Quando fui a Barcelona, sim, tive influência na contratação. Dei conselhos e contei as coisas boas que vivia no clube e na cidade. Mas neste caso não foi assim. Simplesmente cheguei primeiro que ele (risos). Somente em um momento de dúvida, em que ele não sabia o que fazer, a única coisa que falei é que seguisse seu coração e fosse feliz. Esse foi o único conselho que dei - completou.

O PSG de Daniel Alves e Neymar tem feito ótima temporada. Comandado por Unai Emery, o time parisiense lidera o Campeonato Francês por 11 pontos e, na Liga dos Campeões, está nas oitavas de final à espera dos confrontos diante do Real Madrid - a ida será no dia 14 de fevereiro, em Madri; a volta, 6 de março.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos